quinta-feira, 22 de junho de 2017

Fique frio, chegou o inverno!


Quando cai a temperatura as pessoas sempre procuram um jeito de esquentar o clima. E sempre o que há de mais acalorado são as eternas discussões sobre o que é melhor, o frio ou o calor. Eu particularmente não gosto nem do calor e nem do frio, eu gosto é de reclamar da temperatura.

Está tão frio que acordei cedo com o barulho da dentadura da minha avó. A dentadura estava fazendo abdominal dentro do copo de água para se esquentar do frio. Levantei, saí e fui à praça dar milho aos pombos mas curiosamente hoje não tinha nenhum. Só havia pinguins.

Tremi tanto de frio esses dias que se eu fosse uma galinha botaria um ovo já com a clara em neve. Se eu fosse uma vaca ao invés de dar leite, daria sorvete de nata.

Dizem que frio é psicológico. Pode até ser, fui tirar a dúvida com meu psicólogo e ele estava esquiando em Manaus para se ter uma ideia. Falando em psicológico, o meu também fica alterado no frio. Fico romântico como um europeu para arrumar alguém para me esquentar, mas a preguiça continua de brasileiro e o pênis continua de japonês. O pior é que na maioria das vezes o romantismo europeu não funciona. No frio as mulheres parecem pernilongos e somem misteriosamente. Até as piriguetes postam fotos com roupas nas redes sociais. 

Mas uma coisa em mim não muda no frio: continuo solidário! Tanto é que vi um mendigo dormindo no chão esses dias e peguei um colchão aqui em casa para levar para ele. Fiz uma fogueira com o colchão que o aqueceu a noite inteira. 

Fico bravo quando estou embaixo das cobertas e pedem para eu levantar no frio. Ontem, um frio danado e minha mãe me manda fechar a janela que estava frio lá fora. Fechei, mas continuou frio lá fora do mesmo jeito, cada coisa! 

Hoje está tão frio que a caixa d'água destampada virou pista de esqui para os mosquitos da dengue aqui em casa. Fui jogar Mortal Kombat, escolhi o Subzero e ele veio de blusa. Falando nisso, vou criar um aplicativo chamado "Dança da Manivela", só para saber onde está quente, onde está frio. 

Até lá no cemitério era ruim trabalhar no frio. Tinha dia que os fantasmas não apareciam de lençol e sim de edredom. 

Vou terminar esse texto porque tenho que tomar banho. Banho no frio é igual briga, eu fico evitando até o último momento, mas depois que eu entro não quero mais sair. Quando era criança nos dias frios eu fingia que tomava banho, ligava o chuveiro e sentava na privada enquanto a água caía no chão. Hoje depois de velho vi que não compensa passar frio a toa, agora esquento a tampa da privada com o secador antes de sentar. 

Sei que as piadas desse texto não foram muito boas e muita gente está me mandando mentalmente para o inferno. E olha, nesse frio eu vou mesmo.

segunda-feira, 19 de junho de 2017

Cada porrada, um flash!


Sertão do Pernambuco, semi-final do campeonato estadual entre o time local, o Salgueiro e um gigante do estado, o Santa Cruz. O clima era quente, literalmente. De repente acontece um desentendimento no gramado e a pancadaria começa. Um policial entra em campo e:

( ) desce a chibata em todo mundo
( ) aparta a briga e põe ordem na situação
( ) saca o celular do bolso e começa a tirar foto da treta

Acertou quem assinalou a última alternativa!

Acredito que o correto mesmo era chegar sentando a chibata nos baderneiros, mas como um bom pai de família, o policial decidiu preservar a paz nos estádios.

Conter a confusão e deixar de registrar um momento lindo desse? PM raiz, parabéns! Conter a treta não dá like, o like vem da foto da treta nas redes sociais. Registrar primeiro, postar nas redes sociais e se der, conter. Se não der, paciência, segue o jogo. 

Essa autoridade, mais eficiente que japonês na roça, deve ser condecorada com a maior honraria do futebol brasileiro: um vale Pitu, um espetinho de porco e a medalha Piliquinha. Piliquinha, para quem não sabe, é (ou foi) uma lenda viva (ou não) do futebol da Vila São Pedro. Futebol da Vila São Pedro:

Regras: não há regras 

Limites: não há limites.

Antes que este mito seja crucificado, vamos deixar tudo bem justificado. Ele entrou em campo, fez essa foto, postou no Instagram e Facebook com a legenda: "Começando os trabalhos". Depois foi resolver a treta.

É fato que a polícia do Brasil primeiro joga gasolina na fogueira, depois tenta apagar o incêndio. Mas nesse caso, esse nobre policial estava apenas colhendo provas para justificar o fato de ter descido a chibata em todo mundo depois, haja vista que no Brasil quando polícia bate em baderneiro, quem vai preso é o policial.

Diz o ditado que uma imagem vale mais que mil palavras. E que imagem! Na vida e na hora do jogo todo mundo é malandro, mas quando a polícia chega é todo mundo trabalhador.

Isso é o que eu chamo de jornalismo esportivo policial. Uma mistura de Casos de Família com Polícia 24 Horas. 

Após o ocorrido, indagado pela imprensa, que depois dessa brilhante cobertura da treta podem ser chamados de colegas pelo policial, o militar disse: "Essa é para mostrar aos netos como era o futebol que vocês estão tentando matar". 

É por causa de histórias como essa que eu ainda insisto em pagar internet. Quem nunca tirou uma fotinho no trabalho para mandar no grupo da firma? 

E cá para nós, policial é pago pra defender a sociedade e não trabalhar de graça em jogo de futebol. Está certo em não se meter, deixa esses bestas que brigam por causa de jogo se matarem sozinhos.

quinta-feira, 15 de junho de 2017

Queria ser urso, para nesse límpido inverno hibernar ♫♪


Ultimamente venho precisando de oito horas de sono por dia. E dez por noite. Falando em oito, meu sono anda igual esse algarismo (8), se eu deitar vira infinito.

Sou uma pessoa determinada. Li que em média uma pessoa passa um terço da vida na cama e estou determinado a bater esse recorde. Acho que quando eu nasci não chorei, eu bocejei.

Estava pensando esses dias e acho que não tenho sono, o que tenho é amostra grátis de como é uma anestesia geral. Ia no médico tentar saber porque tenho tanto sono, mas perdi a consulta, dormi no ônibus e acordei no ponto final.

A vida é assim, cheia de desencontros, tem alguns raros dias que procuro o sono na hora de dormir e o sono me procura na hora de acordar. Fico tipo letreiro de motel: aceso a madrugada toda. 

O fato é que normalmente tenho mais sono que narrador de jogo de xadrez. Acredito que deveriam inventar um despertador no celular que se você apertasse o botão soneca mais de três vezes, ele automaticamente ligaria para seu chefe dizendo que você está doente. Se dormir fosse um emprego, eu seria sempre o funcionário do mês.

Esses dias pesquisando sobre sono na internet, li que se alguém dormir em média oito horas por dia tende a ficar mais bonito. E é verdade, toda vez que eu durmo até tarde, minha mãe entra no quarto e diz: "bonito, hein"!

Li também que nada melhor para aliviar a sonolência, do que uma xícara de café bem quente. Também é verdade, principalmente quando você a derrama nas suas coxas.

Outra matéria falava sobre como uma pessoa satisfazia a outra na cama. No meu caso é bem simples, basta não me acordar.

Vi também algumas táticas para acordar cedo. Eu tenho uma infalível. Quando for acordar cedo, adiante o seu relógio em quatro horas e quando ele despertar as onze, na verdade serão sete da manhã. Fica a dica!

Esses últimos dias estou indo dormir tão tarde e acordando tão cedo, que quase cruzo comigo mesmo no corredor. Todo dia estou acordando quatro horas da manhã, estou me sentindo um figurante do The Walking Dead.

Quando chega o verão, lançam o horário de verão, agora no inverno que é melhor época para dormir não lançam o horário de inverno. Tinham que fazer uma lei para que nós, cidadãos de bem, pudéssemos dormir por seis meses seguidos, como fazem os ursos nessa época. Não tenho inveja de ninguém, exceto dos animais que podem hibernar.

Bom, estou cansado de ficar dormindo, vou ali descansar um pouco. Se algum dia eu morrer dormindo, digam que morri fazendo o que mais gostava. E deixo aqui para vocês um ensinamento importante: nunca confundam o "já acordei" com o "vou levantar". Acordado eu estou, mas como a coragem não me deixa levantar, vou ali continuar meu sono de beleza, que, cá para nós, vai ser necessário de horas e mais horas para fazer efeito. 

segunda-feira, 12 de junho de 2017

O amor papel higiênico


Namoro é a união de duas pessoas que se amam, que se preparam para passar o resto da vida juntas após o casamento e constituir família, não é? Com certeza, se estivéssemos na década de 50. Naquele tempo sim, as coisas eram respeitosas. Hoje as relações duram menos do que cuspe em ferro quente.

Hoje em dia, os relacionamentos em geral, deixaram de ser uma união para se tornar um jogo em que os adversários estudam cada lance para ver quem vai sair ganhando no final. Já entram no barco pensando na melhor maneira de sair quando ele começar a afundar.

Hoje é o dia dos namorados. Nesse dia percebo que cada um tem a namorada que merece, eu, por exemplo, não tenho. Acho que é porque a primeira coisa que reparo em uma mulher é o bom gosto dela: se ela tiver, já sei que não tenho chance.

Eu já até namorei algumas vezes, mas não deu certo. Sou desses que passa o dia dos namorados, solteiro e o dia dos finados, vivo. Ou seja, sou do contra!

As mulheres nunca tiveram muita paciência comigo. Amor de namorados hoje em dia na maioria dos casos é como papel higiênico: diminui a cada cagada.

Certa vez, uma ex-namorada me disse que queria de presente algo que deixasse ela bonita. Comprei uma garrafa de vodka e bebi, quando cheguei na casa dela, ela estava linda. Namorar com uma mulher que bebe também não dá certo. Quando a gente brigava eu ia para o bar tomar todas para esquecer e a miserável já estava lá bebendo!

Ela se antecipava, mas quando eu fazia algo antes dela, era briga na certa. Um dia soltei um peidinho inocente e ela me disse: “como você tem coragem de peidar na minha frente?”. Eu lá tinha como saber que era a vez dela peidar?

Mas o engraçado foi quando ela terminou comigo. Ela disse que eu não combinava com o sapato novo dela. Até aí tudo bem, ela me trocou, mas não a condeno, se eu pudesse também me trocaria, mas como não posso tenho que me aturar. E outra, pessoas medianas são assim, em um dia te ama e no outro não mais.

Uma outra quando terminou deixou um bilhete na porta da geladeira escrito: acabou tudo. Abri a geladeira e vi que estava cheia. Não entendi nada!

Ela me disse que o rímel estava caro para gastar chorando por qualquer idiota. Agora, o batom deve estar barato, já que pelo que sei ela está gastando com a cidade inteira.

E cá para nós, frescuras de relacionamentos são iguais panfletos que te dão na rua: você não é obrigado a aceitar!

Uma vez namorei uma garota viciada em signos. Meu signo dizia: ótimo dia para negócios, no amor se declare para pessoa amada. Seguia o que os astros diziam, mas o signo dela dizia: péssimo dia para negócios, no amor não acredite em promessas. Aí me lascava!

Recentemente o Facebook colocou uma flor para reações no dia das mães. Agora poderia colocar uma para o dia dos namorados, o que acham? As reações do Facebook, em ordem, são as fases de um relacionamento. Confere ai!


Triste mesmo é o que aconteceu comigo no ano passado, quando comprei presente do dia dos namorados parcelado no cartão e o namoro não chegou nem na segunda parcela. Fui encontra-la mais cheiroso que mão de barbeiro, mais arrumado do que burro de cigano em dia de festa e no final ela me deixou falando sozinho feito “A voz do Brasil”.

Essa data para mim é igual cravo em cima do beijinho: desnecessária. Existem casais que levam a sério não só essa data, mas o compromisso que firmaram um com o outro. Mas a grande a maioria namora por carência, por conveniência ou por qualquer motivo que não seja de casar e ter objetivos em comum. Fim!

terça-feira, 6 de junho de 2017

Sorria, você está sendo chifrado!



Na nossa vida a gente passa por vários desgostos, isso é inevitável. Mas acho que a traição é o maior desgosto que existe, principalmente porque vem de quem você menos espera. Um dos maiores desgostos que eu tive na minha vida foi quando eu descobri que levava mais chifres que pano de toureiro. 

Chifre é que nem picada de mosquito: o ruim não é a picada e sim o zum zum zum. Tanto é que no ultimo chifre que eu recebi fui até a rodovia, subi na passarela e fiquei pensando. Só não me joguei lá de cima porque percebi que tinha ganhado chifres e não asas. Sou tão azarado que a vaca dá leite, queijo, carne e várias outras coisas boas, mas para mim só deu o chifre.

Eu não tenho problemas em falar desse assunto, até porque, não levo em consideração a história de que quem trai é esperto e quem é traído e otário. Não inverto os valores, quem trai é mau caráter. Sem contar que todo mundo que é idiota o suficiente para trair, acaba sendo idiota o suficiente para ser descoberto. Falo isso porque não sou cabaré pra agradar quenga e nem o Pablo do Arrocha para agradar corno. No amor, ando mais iludido que abelha em flor de plástico.

Minha mulher sempre me disse que eu era um em um milhão. Depois que eu fiquei com o celular dela por um dia e li as conversas dela no WhatsApp, tive que admitir que ela não estava mentindo. Se sua mulher coloca o telefone em modo avião quando está com você, pode ter certeza que tem outro passageiro embarcando no mesmo voo.

Hoje em dia na era das redes sociais é praticamente impossível você trair e não ser pego. O Facebook também já me fez descobrir algumas coisas que estavam bem em cima da minha cabeça e eu não via. Estava trabalhando tanto, que a única forma de ver minha mulher nua era nos grupos do WhatsApp.

Chifre é igual dente de criança, só dói quando nasce depois você se acostuma. Procuro levar na esportiva, sabe, se força bruta resolvesse a situação o touro não teria chifre e sim uma coroa. Mas confesso que tem hora que dá vontade de dar uma chifrada em quem fica tirando sarro.

Enfim, a minha sorte é nunca ter me casado, pois pior que carregar o chifre é ter que sustentar as vacas. Eu não vou morrer por causa disso, mas caso morra como sou doador de órgãos, podem doar meus chifres para fazer berrante.

Sei que tem um corno lendo esse texto. Ele vai ler até o fim porque além de corno é curioso e vai confirmar isso dando um sorrisinho maroto. Sorriso maroto não, é música de corno!

segunda-feira, 29 de maio de 2017

Coração de Frango

Essa é só para quem curte uma boa música. Cantando: eu, no violão: meu amigo Gean Carlos, ouvindo: você, se tiver coragem!



Roteiro/Direção: Rodrigo Portuga
Captação/Edição de imagem: Arquimed LD Santos
Captação/Edição de Audio: Wendell Müller
Violão: Gean Carlos
Letra: Marcos Mairton

Coração de frango

Eu passei o dia inteiro trabalhando,
Esperando a hora de te encontrar,
Te encontrar no churrasquinho da esquina,
Pra gente jantar.
Mas quando eu me aproximei da barraquinha,
Vi que outro segurava a sua mão,
E o ciúme que atravessou meu peito,
Me deu a sensação.
De um coração de frango,
Perfurado pelo espeto do ciúme.
Coração de frango,
Trespassado pelo espeto da traição.
De um coração de frango,
Enfiado no espeto do ciúme.
Coração de frango,
Vai ardendo entre as chamas da paixão.
Hoje em dia não consigo nem olhar,
Um churrasco que esteja a assar,
Pois se vejo um coração em um espeto,
Começo logo a chorar.
Coração de frango,
Perfurado pelo espeto do ciúme.
Coração de frango,
Trespassado pelo espeto da traição.
Um coração de frango,
Enfiado no espeto do ciúme.
Coração de frango,
Vai ardendo entre as chamas da paixão.

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Ao delator, o prêmio!


Lembra no tempo da escola, quando a professora falava que ia dar ponto para quem entregasse quem estava colando ou fazendo bagunça? Então, isso é delação premiada. E foi isso que fez um dos donos da JBS, entregou políticos corruptos e fez mais barulho que peido de burro atolado.

O cara entregou o Temer, Aécio, Lula e Dilma. Olha, se organizar direitinho dá para prender todo mundo. O Temer disse que não vai renunciar e que o Brasil ainda tem saída. No caso dele só se for pela fronteira. Ele foi o único político que conseguiu unir o Brasil, afinal, ninguém gosta dele.

Já pensou se a moda pega? Se eu fizer uma delação premiada, eu acabo com o casamento de todos os meus amigos.

No Brasil a frase “trago boas notícias” só pode ser dita quando você fuma um cigarro enrolado em um jornal de outro país. Embora esse assunto seja mais chato que dobrar lençol com elástico, eu fico revoltado quando vejo essas notícias. Eu não aguento mais ser o único brasileiro a não receber propina.

Caiu Dilma, Cunha, agora o Temer, meu amigo vascaíno está torcendo para cair o Aécio também e fechar quatro, assim o Vasco não cai esse ano.

Concordo que o Temer tem que sair, mas a primeira dama poderia assumir o lugar dele. A propósito, esses dias saí com uma garota e também achei que ela estava interessada no meu dinheiro. Foi aí que pensei: mas que dinheiro?

Além do mais, ele vinha acabando com o país. Todos os dias quando acordo, pego o jornal e penso: qual será o direito que perdemos hoje?

Além do Temer, a delação fez a casa do Aécio cair também. Engraçado eram os apoiadores dele protestando contra corrupção com a camiseta da CBF, o órgão mais corrupto desse Brasilzão de meu Deus. Agora me aparece o Lula dizendo que o PT pode ensinar a combater a corrupção. É a mesma coisa que eu com essa barriga de cadela prenha aparecer dizendo que sou personal trainer.

Estou ouvindo o pessoal que votou na Dilma dizendo: votei na Dilma e não no Temer. Beleza, eu votei na Dilma, mas concordo que a chapa já vai para o segundo impeachment. Se eu tivesse votado no Collor lá atrás já poderia pedir música no Fantástico.

Como já disse, a delação respingou em um monte de gente. Mais de uma centena de políticos já receberam propina da JBS. Os políticos são como pardais: andam sempre em bando. E o pardal assim como os políticos raramente são vistos presos.

Falando em bicho, vou jogar no jogo do bicho o número dos partidos envolvidos em corrupção. Vai ser tanto número que dificilmente não vou acertar nenhum.

Enfim, agora é esperar para ver o que vai dar e as cenas dos próximos capítulos. Esperar para ver se colocam alguém na presidência ou se fazem uma nova eleição. Do jeito que as coisas vão, o maluco do Bolsonaro vai ganhar por w.o, a não ser que a Marina Silva reapareça querendo concorrer com ele. A Marina é como se fosse a herpes do país: fica escondidinha, mas quando a imunidade abaixa, ela aparece enchendo o saco.

Agora vou parar por aqui e ir lavar a louça. Lá na pia tem alguns pratos e a quantidade me faz lembrar os protestos contra esses políticos no dia de ontem: a PM (minha mãe) diz que são 10 pratos, mas os organizadores (eu) dizem que são 50.

quinta-feira, 18 de maio de 2017

Spray Mata-Capeta?


Correu pela internet a notícia de que o Pastor Silas Malafaia iria lançar um produto revolucionário, um capeticida. Um spray que além de tirar o dinheiro dos fiéis, tiraria também o capeta. O Pastor deve ter se inspirado na Polícia Militar, não estou falando do caráter duvidoso, mas sim do spray de pimenta que a PM usa para dispersar pobres diabos que fazem baderna por aí.

Tenho a esperança de que com esse spray diminua o barulho nas igrejas na hora do exorcismo, afinal Deus não é surdo. Esses dias assisti um exorcismo em uma igreja aqui perto de casa. Descobri que os demônios falam gírias, quando o Pastor começou falar com o fiel, o capeta respondeu: “tá me tirando?”.

Tenho um cliente para o Malafaia. Já contei aqui no blog que um amigo me disse que vem sendo possuído por um espírito de um marinheiro. Segundo ele, certa vez, encontrou o nome dele na boca de um sapo e desde então ele é possuído por esse espírito. Mas como já pude comprovar, coincidentemente a possessão sempre ocorre quando ele sai do bar e volta para casa.

Vi esse Pastor dizendo que quando eu não pago o dízimo eu estou roubando de Deus. Estranho é que Deus nunca fez nenhuma ocorrência contra mim, enquanto o Malafaia foi indiciado pela Polícia Federal por lavagem de dinheiro. Ouvi várias vezes que igreja dá dinheiro, mas só em alguns casos, na maioria das vezes ela toma.

Esse pastor disse que homossexualidade é doença e coisa do capeta. Acredito que teria mais sucesso com seu produto se ao invés de spray, fizesse um supositório. Fica a dica.

Já disse, mas vale reforçar que dizem que esse Pastor é um dos maiores picaretas que existem. Mas dessa vez ele está sendo injustiçado e até o capeta está com pena dele. Essa notícia é falsa e foi veiculada por um site de humor que “inventa” notícias, mas por se tratar de Silas Malafaia e como para ele “templo é dinheiro”, o pessoal acabou acreditando. Ele está tão feio na foto, que se jogar ela na encruzilhada, vão achar que é despacho.

Conheço muitos pastores que fazem um excelente trabalho, mas como toda unanimidade é burra, sempre tem aquele “representante” de Deus na terra que costuma abusar da fé alheia. E cá entre nós, dessa vez seria o fim da picada, ou melhor, da “sprayzada”.

segunda-feira, 15 de maio de 2017

Eu amo a minha lata velha!


Eu amo meu carro. Mesmo ele estando mais judiado que ovo de ciclista. Ele está tão velho que esses dias passei no pedágio e a moça me disse: "Bom dia, R$7,90 senhor". Eu disse: “Vendido, pode levar”. Chamo meu carro de possante, afinal, onde eu estaciono fica uma poça de óleo embaixo.

Sei que quem me conhece vai falar que quando falo desse amor estou mais louco que galinha amarrada pelo rabo, já que ele está mais riscado que do que participante do “Baleia azul”, mais sujo que telefone de açougueiro e mais amassado que dinheiro de bêbado. Quem olha ele por dentro duvida ainda mais, já que nem som meu carro tem. 

O meu carro está tão feio, que esses dias coloquei uma placa de venda nele e quando voltei, estava escrito embaixo na poeira "duvido". Ele parece carro de funerária: só anda em ponto morto. Esses dias levei ele na oficina e o mecânico perguntou por que o ronco dele estava estranho. Eu vou lá saber, o carro dorme sozinho na garagem.

Ando com o carro assim porque eu sou um cara sensato. Nos dias de hoje não há nada mais sensato do que ter um carro velho, feio, riscado e amassado, desde que ele ande, é claro.

Tenho um amigo que fica me zoando porque ele tem um carrão e eu ando nessa lata de sardinha com quatro rodas. Mas veja bem, meu carro está quitado, não pago prestação, seguro, acessórios, estacionamento e muito menos flanelinhas, só gasto com o combustível. O meu carro nunca me deixou na mão. E nem a pé.

Esse amigo diz que o carro dele atinge 200 km por hora e que o meu não. Ok, mas do que adianta se aqui na minha cidade se eu passar de 50 km por hora eu sou multado?

A gente sai no carro dele e ele fica saindo toda hora na rua para ver se o carro não foi roubado. Eu deixo o meu em qualquer quebrada do mundo na maior certeza de que ninguém vai mexer nele. Ninguém quer aquela joça nem de graça. Meu amigo sempre dá aquela olhada para trás depois de trancar o carro estacionado, como se fosse a última vez que fosse o ver.

Ele gasta uma nota com estacionamento e quando não há nenhum por perto tem que pagar para o flanelinha olhar. Agora cá para nós, você acha que o flanelinha vai impedir um ladrão de roubar o carrão do meu amigo para ganhar no máximo a gorjeta de cinco reais? Eu não me preocupo, quando o flanelinha diz que se eu não der o dinheiro do café (leia-se cachaça), ele vai riscar meu carro, eu já digo pra ele procurar um espaço onde não esteja riscado. Se ele achar, pode riscar. Quem tem carro velho não precisa ceder à chantagem de ninguém, sabe o que isso se chama? Honra!

Esse meu amigo já foi vítima de dois sequestros relâmpagos. E eu? Quem tem um carro como o meu já deixa claro ao ladrão que nem conta no banco tem e se tiver está no vermelho.

Outra coisa que meu amigo se gaba para o meu lado é que ele pega um monte de mulher por causa do carrão dele. Até nisso o meu carro velho me ajuda: a me livrar das Maria-Gasolina. Vira e mexe vejo as meninas postando: "faça acontecer que eu faço valer a pena". Interpreto: "vem me buscar de carro que eu libero". Como diz o ditado: cavalo pangaré puxando carroça bonita, consegue pastar com qualquer potranca.

Enfim, para todo lugar que meu amigo vai no carrão dele, eu vou na minha carroça feia de pangaré coxo. Sempre quando entramos nessa discussão ele me chama de invejoso e acredito que muitos que leram também vão me chamar. Mas uma coisa é certa, vivo para os bens materiais me servirem e não para ser escravo de bem material. 

quinta-feira, 11 de maio de 2017

Quem vai ganhar o Brasileirão?


​​​​​Vai começar o Brasileirão e como diz o ditado: O futebol é uma caixinha de propinas, digo, de surpresas. Gosto tanto de bola que deixei a minha barriga parecendo uma. Futebol para mim é como uma conversa com gago, não entendo nada, mas finjo que estou entendendo tudo. E por isso, fiz esse post para expor os meus palpites e a chance de cada clube conquistar o título mais importante do futebol nacional. 

Atlético Goianiense

O clube goiano recém promovido da segunda divisão, joga apenas para não ser rebaixado. Quem também deve ser promovido é o técnico Marcelo Cabo, que pelo que vem fazendo merece ser promovido a Marcelo Sargento o quanto antes. Ao contrário do que sugere o nome, ele não gosta que o time prenda a bola. O mascote do clube é um dragão e para honrar a tradição, o treinador bebeu todas e foi encontrado várias horas depois com um dragão em um motel da cidade. O único problema é que o dragão também tinha um cabo.

Atlético Mineiro

O Galo briga para ser campeão. O clube anda em alta, mas fora o estadual, a única coisa que a torcida tem comemorado (ou não) é o fato do ex-presidente ter se tornado prefeito de Belo Horizonte. Falando em política, o clube é totalmente ao contrário do salário mínimo, afinal, o salário mínimo você ganha, ganha e não compra nada, já o Galo compra, compra e não ganha nada.

Atlético Paranaense

Ficará no meio da tabela. O apelido da equipe é Furacão, deve ser porque a defesa é um desastre natural. A equipe não consegue vencer um jogo sequer fora de seu estádio e se não mudar isso nesse brasileirão, a Arena da Baixada poderá se tornar a Arena Rebaixada.

Avaí

Vai ser rebaixado. Em 2014 jogou a Série B, em 2015 jogou a Serie A, em 2016 a B, em 2017 jogará a A. Não é preciso ser nenhum Nostradamus para adivinhar qual divisão o Avaí disputará em 2018. 
Bahia

A equipe baiana, a exemplo do Avaí não se decide em qual divisão fica. E a exemplo dos golfinhos que atraem turistas para a boa terra, a equipe sobe, faz uma graça, recebe alguns aplausos, empolgam os expectadores, mas logo afunda de novo. 

Botafogo

Vai ficar na parte de cima da tabela, com certeza. Torço para isso porque tenho um amigo que é Botafogo doente. Aliás, tem que ser doente para torcer para o Botafogo. O clube do coração de Nero tenta retornar aos tempos de glória. O Botafogo é igual Elvis Presley, fez sucesso nos anos 60, todo mundo tem certeza que já morreu, exceto os seus fãs.

Chapecoense

Vai ser campeão. Sem mais! 

Corinthians

Corintiano diz que o Corinthians é sua vida. E eu achando que minha vida que era uma merda. Nos últimos anos a equipe vem jogando com o regulamento embaixo do braço, agora é torcer para nenhum torcedor enrolar e fazer um baseado com ele. Pelo menos o clima no elenco está bem tranquilo após o título paulista e todo jogo a rapaziada vai tocando cavaco no ônibus do clube. Claro, cavaco é o único instrumento que pode ser tocado estando algemado.

Coritiba

Cai. Há anos namora com a zona de rebaixamento e essa ano acho que sai o casamento. Torcer para o Coritiba é igual ir ao dentista, você sofre antes, durante e depois do campeonato. 
Cruzeiro 

Ano passado o durante um jogo do maior rival, um drone sobrevoou o estádio com uma provocação. O Cruzeiro tentou negar, mas o drone tremia tanto que não teve como negar que era cruzeirense. A Raposa tem fama de amarelar na reta final dos campeonatos, tanto que lançou um uniforme que tinha a camisa amarela e o calção azul, só para lembrar os carteiros que entregam sempre em casa. Vão amarelar esse ano de novo.
Flamengo

Briga pelo título, mas novamente vai ficar só no cheirinho. Foi campeão carioca, mas com o juiz comemorando um gol que o clube fez de forma irregular no final da partida, as coisas não cheiraram muito bem. A Friboi quer patrocinar o Mengão, eles entram com a carne e o time com o papelão nesse campeonato.

Fluminense

Meio de tabela. O Fluzão é um time "testículo": participa, tem um papel importante, mas nunca entra. Pelo menos o Fluminense não será rebaixado e se for será como o Whatsapp, cai num dia, mas no outro entra com recurso e acaba voltando.
Grêmio

A torcida chama a equipe de imortal. O Grêmio é o único imortal que morre pelo menos 4 vezes por ano. Nesse campeonato vai encarnar todo orgulho farroupilha e fará como os gaúchos na Guerra dos Farrapos: vai perder feio.  

Palmeiras

É papelão na carne, soda cáustica no leite. Quem começou essa brincadeira foi o Palmeiras dizendo que 51 é título mundial. Liguei ontem na Sky querendo comprar os jogos do Brasileirão, mas a atendente me disse que eu não podia porque a Crefisa já havia comprado todos. Estamos de olho! 

Ponte Preta

A Ponte tem 117 anos e nunca ganhou um título. É o hímen mais forte do mundo, pois fodem com ela todo campeonato e mesmo assim continua virgem. Se eu tiver uma filha se chamará Ponte Preta.

Santos

Os meninos da vila não serão campeões. A molecada atual está mais para triatletas, afinal correm, pedalam e nada. O time era muito forte em casa, mas ultimamente está igual o Seu Barriga do seriado Chaves: toda vez que entra na Vila leva uma pancada. O Peixe está "viceado" em segundos lugares e no Brasileirão não vai passar disso.  

São Paulo

A torcida diz que o time é um avião. Eu já comparo o time do São Paulo com um carrinho de criança daqueles do Paraguai: meia hora de brincadeira e já está soltando a rodinha. Os rivais chamam seu estádio de "panetone" porque é redondo e cheio de frutinha dentro. O Tricolor agora tem mais uma semelhança com o natal além dessa: os dois vão cair em dezembro.

Sport

O destaque do Sport nos últimos anos vem sendo a categoria de base. O time profissional não tem nada a ver com o time dente-de-leite, afinal o dente-de-leite só cai uma vez. O clube acabou de ganhar na justiça o título de 87, mas o de 2017 não ganha nem com a maior das justiças: a divina. O título de 87 é igual ao sítio de Atibaia: está em nome de um, mas todo mundo sabe que é de outro.

Vasco

Vai ser rebaixado de novo. O Vasco está igual o Chucky, o Brinquedo Assassino, antigamente botava medo em todo mundo, mas hoje é motivo de piada. Todo mundo zoa, mas em poucos anos o Vasco vai ser um dos clubes mais ricos do mundo, porque do jeito que está afundando, logo vai acabar encontrando petróleo. 

Vitória

Briga para não ser rebaixado. De todos os 20 clubes da Série A, esse é o que o nome menos combina com o clube. Quando fui renovar a minha CNH, tirei a foto com a camisa do Vitória só para ela não vencer mais. Fica a dica. 

E você, caro leitor, qual a sua aposta para esse Brasileirão?

segunda-feira, 8 de maio de 2017

Pelo mundo afora: Marrocos


Situado no noroeste da África, o Marrocos não chama a atenção somente por não fazer parte da União Africana, nem pelos belos desertos onde há maratonas tradicionais e podemos passear de dromedários, nem muito menos pela sua economia baseada na agricultura e na mineração. O que mais chama atenção são os muitos costumes exóticos para nós aqui no Brasil.

Por exemplo, no Marrocos é comum ver homens andando de mãos dadas nas ruas e dando selinho uns nos outros, o que não é comum aqui no Brasil, exceto em jogos do São Paulo. Aqui no Brasil o número de gays está aumentando tanto que daqui a pouco vão ter que adicionar o 9 na frente do nome. Mas cá para nós, beijo gay e hétero é a mesma coisa que usar calcinha ou usar biquíni. São a mesma coisa, só que um é aceito em público e o outro não. O que vale é ser feliz, mesmo que seja pra lá de  Marrakech. 

Ainda nesse assunto, o país é um dos primeiros do mundo no ranking de cirurgias de mudança de sexo. Não que eu esteja interessado em operar, longe disso, é que a capital marroquina se chama Rabat e soa meio estranho ver um castrado "em Rabat", não soa?

O esporte mais popular no Marrocos por incrível que pareça é o futebol. Mesmo com a pouca tradição no esporte, dizem que foi lá que inventaram o famoso "treino sem bolas". Eles já enfrentaram o Brasil em uma Copa do Mundo e acabaram perdendo. Treinaram muitas jogadas de primeiro pau, mas na hora do jogo ele não estava mais lá, alguém já tinha decepado o bicho. Há brasileiros jogando nos clubes do Marrocos. Roberta Close jogou por lá, mas acabou sendo cortada.

Para quem gosta de beber, o Marrocos não é um lugar legal. Além de caras, as bebidas não são nada fáceis de serem adquiridas, mas como pinga é pé do ouvido não tem hora para tomar, os turistas têm lugares específicos para beber água que dromedário não bebe. Enquanto aqui no Brasil a cada esquina tem um boteco, no país africano não pode nem andar com uma garrafa de álcool na rua. Ainda bem que não consumo álcool, só quando acaba a pinga.

Deve ser por esse motivo que ao invés do coração, o fígado é o símbolo do amor no Marrocos. Quando uma mulher topa casar, dizem que ela está com o "fígado preso". Já o símbolo do amor do homem deve ser o intestino e quando ele aceita casar devem dizer que ele está com o "intestino solto".

A dieta do país além de exótica, exige algumas etiquetas incomuns. No desjejum eles sempre comem um prato coletivo. Recusar carne vermelha e comer com a mão esquerda é considerado falta de educação. Realmente, canhoto como eu não tem direito a nada. Mesmo que eu seja canhoto, sou obrigado a acordar com o pé direito e comer carne vermelha sem querer? Ora pois. 

Nos grandes e tradicionais mercados marroquinos, os produtos não têm preço fixo, o que manda é a lei da pechincha, não dá para ir às compras sem negociar preço. Essa pechincha lembra a política aqui do Brasil. Não só na negociação de propinas, da compra deputados pelo Zé Dirceu no mensalão, mas na arte de enganar toda a população de um país durante 4 anos e ainda ser eleito para segundo mandato. É muita negociação e muita gente para enganar!

Sobre a economia, acredita que 10% do PIB marroquino é proveniente da produção de maconha? Lá, como aqui no Brasil, há um estudo sobre a regularização do uso da maconha. Os consumidores da erva fizeram uma campanha pedindo para que todos os usuários dessem as mãos em prol dessa causa. Aí eu pergunto, se todos derem as mãos, quem vai enrolar o baseado?

Existe um provérbio local que diz: "Se um homem diz que você parece com um camelo, não ligue, mas se dois homens dizem, olhe-se em um espelho". Encerro esse texto dizendo: "Se você teve a resistência de um camelo e leu esse texto até o fim, não custa nada ler dois, siga para o texto abaixo!".

quinta-feira, 4 de maio de 2017

​​​​​Existe algo organizado no Brasil: o crime!


Sobre o assalto dessa noite eu só digo uma coisa: engordei dois quilos, realmente o crime não compensa. E entre tantas bagunças no nosso país, algo pelo menos é organizado, o crime!

A coisa está feia quando o assunto é violência. Diria que a situação está mais feia do que banguelo gritando gol do Corinthians. A população anda na rua mais desconfiada do que meu avô comprando Viagra em farmácia nova. E eu, assim como você e qualquer outro cidadão de bem venho sofrendo muito com a violência. Põe na tela:

Dias atrás saí com o carro, deixei estacionado e quando voltei, ele não estava mais lá. Testemunhas me falaram que o carro foi roubado. A que ponto chegamos. Imagine o ladrão roubando o carro: “rodas ao alto, é um assalto”. Como se já não bastasse o IPVA.

No dia seguinte eu andava pela rua e dessa vez eu fui abordado: “mãos ao alto, é um assalto”. Mas o ladrão deu azar porque eu estava tão duro que se me chamassem posaria na G Magazine. Pelo menos ele foi caridoso e me deu cinco reais pra eu pegar um ônibus e ir embora.

Mas vi que o mundo estava perdido quando cheguei de surpresa em casa e vi um ladrão roubando a calcinha da minha mulher. Sorte que cheguei e a salvei bem na hora em que ele estava tirando do corpo dela. 

No bairro onde eu moro vira e mexe tem uns tiroteios. Esses dias teve um bem no horário de pico quando os trabalhadores voltavam para suas casas. Agora sempre que o ônibus passa por lá todos passageiros deitam no chão com medo dos tiros. O Governador disse que não tolera mais ver o povo passar por isso e vai tomar uma medida radical: vai substituir todas as cadeiras dos ônibus por camas.

O trânsito no Brasil também é muito violento. Li que em São Paulo um homem é atropelado a cada cinco minutos. Eu se fosse esse cara nem saía mais de casa, vai ser azarado assim lá no inferno, já deve estar todo quebrado!

Esses dias após uma discussão de trânsito vi um cara cimentando o carro do outro na calçada. A vingança foi pesada, mas para mim não faz sentido. Mesmo sem meu carro estar cimentado no chão eu não consigo sair do lugar na maioria dos dias aqui em São Paulo. 

E as drogas? Daria para escrever um livro sobre esse assunto. Esses dias, os traficantes do meu bairro montaram uma barraca de frutas para disfarçar a venda de drogas. Para os nóias foi bom, já que compravam a maconha e já levavam um cacho de banana para a larica. E assim como nas barracas das feiras livres, na barraca deles mulher bonita não paga, mas também não cheira.

Acredito que a população precisa se conscientizar de que a violência não leva a nada. Eu aprendi isso em um simples momento de reflexão. Um dia estava pelado e um pernilongo pousou no meu saco, nesse dia percebi que nem tudo se resolve com violência.

E enquanto acontece tudo isso, nós vamos empurrando essa situação com a barriga e não tomamos atitudes para melhorar. O Brasil precisa de menos opiniões e de mais atitudes. Essa é a minha opinião!

segunda-feira, 1 de maio de 2017

Feliz dia do trabalho!


​​​​​Primeiro de maio, dia do trabalho. Dia que me deixa mais intrigado que surdo em bingo. Ora pois, vejam o que acontece no dia das mães, por exemplo, mesmo que a pessoa esteja mais perdida que Adão nesse dia, ela dá um jeito de ir visitar a velhinha, nem que seja a sepultura dela. No dia dos namorados, idem, as filas nos motéis são tão grandes que mal dá tempo de trocar o lençol entre uma furunfada e outra. Agora, no dia do trabalho todo mundo fica em casa mais folgado que amendoim em boca de banguelo.

Certo que no meu caso, ficar em casa em qualquer feriado não tem muita vantagem. Minha mãe fica pedindo para eu fazer serviços domésticos, quando ela me grita eu já tenho que me trancar no banheiro só pra ver se alguém lava a louça antes que ela peça pra eu lavar. 

Eu adoro meu trabalho, principalmente quando estou de férias. E vejo muita gente que trabalha por conta própria contando vantagem. Esses dias estava em um táxi e o motorista disse: "eu amo meu trabalho, eu sou meu próprio patrão, ninguém me diz o que fazer". Na mesma hora a voz do GPS disse: "vire à esquerda".

E se do jeito que está, está ruim pra você, imagina pra quem trabalha no domingo. Ops, calma aí, eu trabalho no domingo.

Hoje, dia do trabalho, serve para refletirmos sobre o valor de cada trabalho e de cada vocação. Tenho um amigo que queria ser cabeleireiro, mas a mãe não deixou porque segundo ela era profissão de gay. Depois ele mudou de ideia e decidiu ser estilista ou maquiador, mas ela também não deixou porque era profissão de gay. Conclusão: hoje ele é um gay desempregado.

Pior que estar desempregado, é estar trabalhando com o que não gosta. Vejo gente metida e orgulhosa dando o braço a torcer só para por gesso e ganhar atestado. Esse é o famoso funcionário abelha: quando não está zoando, está voando ou fazendo cera.

Nem precisa ser eletricista para me olhar e perceber que estou sem energia nenhuma pra trabalhar hoje. Tenho trabalhado tanto que quando chego em casa tenho que escolher entre jantar, banhar ou dormir para não chegar atrasado de volta no serviço.

Serviço que por sinal está difícil conseguir. Me lembro das entrevistas que fiz e que mesmo tomando banho, fazendo a barba, sendo simpático e tudo mais, não fui aprovado. Teve uma em uma grande multinacional em que o entrevistador perguntou como eu me defino. Respondi que  me defino fazendo abdominais e flexões de braço, mas acho que não era bem essa a resposta certa. Em outra empresa me perguntaram com o que eu trabalhava no emprego anterior, respondi que trabalhava com vontade de ir para a casa. Também não fui aprovado.

Atualmente no mercado, a cada dia aparece uma nova profissão. Meu primo, por exemplo, se intitula "Técnico especializado em utensílios de superfície metálicas", mas na realidade trabalha com um carrinho recolhendo latinhas na rua para vender. Meu tio é o patrão dele e diz que trabalha com antiguidades, ou seja, trabalha no ferro-velho. Meu irmão diz que é "Segurança especializado em veículos", isto é, flanelinha. Minha mulher trabalha realizando fantasias, mas antes que pense besteira já informo: ela é costureira de escola de samba.

Hoje também é celebrado o fato de ao longo da história os trabalhadores terem conquistado vários direitos. Hoje podemos folgar de forma remunerada e sentir na pele por um dia como é a vida de um líder de sindicato durante o ano inteiro.

O lado legal da história é que nesse feriado pudemos emendar e descansar um pouquinho mais. Juro que queria entender que conta que fez o sujeito que inventou o fim de semana, para ele chegar a conclusão de que apenas dois dias eram suficientes para gente repor as nossas energias.

Enfim, vou voltar ao meu sono de beleza, afinal estou precisando. E quanto a você, se estiver lendo isso entre 8h e 18h de um dia útil, recomendo que volte ao trabalho.

quinta-feira, 27 de abril de 2017

O cemitério do povo


​​​​​Eu via gente morta todo dia. Não, eu não via assombração, é que já trabalhei em um cemitério. O nome do cemitério era "Um Irmão". Antes eram dois, mas um já morreu. E em meio ao sentimento de perda, as pessoas também perdem outra coisa importante nesse momento de dor: a noção!

Já pensei em um dia montar uma empresa de animação de velórios, mas lá eu percebi que não teria mercado. Existem pessoas que fazem isso gratuitamente, já ouvi muitas "pérolas" nos velórios.

Uma vez, em um velório de um atleta, chegou um senhor que parecia estar alcoolizado, pois ele cambaleava muito e nem estava ventando tanto assim. Ao ver o defunto saradão ele comentou: “está vendo, ele acordava cedo, se exercitava, se alimentava bem e morreu novo. Eu que não faço nada e só tomo cachaça estou aqui, bonzinho”.

Outra vez vi uma criança consolando a sua mãe após a perda do pai: "calma mamãe, um dia a senhora vai morrer também".

Certo dia estava eu, de gaiato, fazendo meu horário de almoço quando um desconhecido chegou em mim e me deu os parabéns. Achei estranho, nem era meu aniversário, nem nada, aí perguntei o motivo. Ele me disse: "meus pêsames, desculpa, confundi as palavras".

O pessoal que trabalhava comigo também era muito gente boa. Nas horas vagas a gente brincava de "balança caixão". Também jogávamos um carteado, mas eu sempre perdia dinheiro para os coveiros no jogo de tranca, eles eram muito ligeiros para pegar o "morto".

Outra brincadeira legal que a gente fazia era o jogo do buquê com as coroas de flores. Quando tem casamento, a noiva joga o buquê de flores e quem pegar é a próxima a desencalhar. Lá, a gente jogava a coroa para os participantes do velório para ver quem era o próximo a morrer. 

Está em fase final e deve ser inaugurado ainda esse ano o "Corinthians para Sempre", cemitério que o clube do Parque São Jorge promete ser "o maior cemitério do mundo". Enquanto seu maior rival não tem mundial, o Corinthians quer conquistar seu segundo título, já que conquistou o mundo em 2012. A ideia é que todo o processo, do funeral ao enterro, seja repleta de referências ao clube: da execução do hino a uma coroa de flores com o formato do escudo do Corinthians, mas sem flores verdes, cor que faz alusão ao arquirrival Palmeiras. 

Os coveiros do "Cemitérião da Fiel" serão o técnico Fábio Carille e o atacante Romero, já que eles vivem enterrando o time. Coveiros que nesse cemitério em específico serão chamados de "delegados", em homenagem ao profissional que prende os corintianos em vida e mais uma vez os prenderá, dessa vez para não sair mais. 

O cemitério, grande jogada do marketing alvinegro, terá 402 mil metros de área, ou seja, dará pra "cavar" muitos pênaltis. Se nos 30 metros da área do Itaquerão já tem aquele monte de pênalti, imagina em um espaço desse tamanho. O local contará com aproximadamente 70 mil jazigos, o que particularmente acho pouco. Se colocarem a Rota na rua essas vagas acabam em menos de uma semana. Seria mais interessante construir uma penitenciária (sem dinheiro público dessa vez) para abrir vagas nas outras que estão lotadas. Só sugiro ao Corinthians que enterre todos de bruços, assim se ressuscitarem, cavam pra baixo. 

Vi pichado no muro do cemitério: estou muito feliz, minha sogra saiu do hospital... direto pro cemitério! Ri do humor negro, embora nunca entendesse porque cemitérios precisam de muros, afinal quem está fora não quer entrar e quem está dentro não pode sair. 

segunda-feira, 24 de abril de 2017

Só a cabecinha?


Hoje pela manhã fiquei horas preso no trânsito. Agora sei como a minha vizinha se sentiu quando ficou presa no toboágua do clube. Mas nada que se compare ao caso do pobre Rebel, um cachorro que foi encontrado ganindo e com a cabeça aparecendo do outro lado da parede de 46 centímetros de espessura, enquanto seu corpo se manteve firmemente do outro lado, causando mais alvoroço que bêbado no convento. 

Minha vizinha que ficou presa no toboágua não tem nada em comum com o pobre cachorro, peço desculpas (ao cachorro) pela comparação infeliz. É que desde que ela colocou um piercing na língua, só posta fotos na internet de língua de fora parecendo um cachorro com sede. Fotos que parecem com as de cachorro para adoção: todo mundo curte, mas ninguém quer levar para casa. 

Voltando ao assunto, o dono do animal (do cachorro) disse que essa história toda lhe rendeu a maior dor de cabeça. O que é no mínimo curioso, visto que quem quase teve a cabeça serrada pelos bombeiros foi o cachorro, não ele. Segundo ele, o cachorro brincava no quintal quando enfiou a cabeça em um buraco existente no muro. Aí eu pergunto: brincava do quê? De Copa do Mundo, ele era o Zidane e deu uma cabeçada no muro que era o zagueiro da Itália?

Era um cão pastor e como de praxe quis dar uma mudadinha de leve nas escrituras. Em Marcos capítulo 10, versículo 25 diz: “é mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha do que um rico entrar no reino dos céus”. Ele quis mudar de camelo para cachorro e de agulha para parede. O problema é que ficou preso e nem deu para passar recolhendo o dízimo.

Outra escrita caiu por terra com essa história: a de que se passar a cabeça o resto passa fácil. Escrita que para mim nunca fez sentido, afinal, ao contrário do cachorro, pênis não tem ombro.

Já vi vários cachorros subindo pelas paredes a ponto de confundir minha perna com uma cachorra, mas cachorro entrando pelas paredes é a primeira vez que eu vejo.

No fim das contas, essa história nos deixa um aprendizado: esse negócio de "colocar só a cabecinha" quase sempre acaba com alguém sendo retirado à força.

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Vamos devolver o Brasil para os índios?


Sempre me perguntam: direita ou esquerda? Na verdade, o que queria mesmo era que o Brasil fosse para frente. Hoje o Brasil está dividido, de um lado mortadela, do outro coxinha. Eu estou aqui no meio só pensando em comer os dois.

O Brasil é um país maravilhoso onde só faltam duas coisinhas: ordem e progresso. Aqui muitas pessoas realmente acreditam que o voto seja uma arma, acreditam tanto que acabam cometendo suicídio coletivo na hora que votam. Dão umas dedadas na urna e na maioria das vezes, salvo raras exceções, passam quatro anos tomando dedadas do governo. No mundo, deputado é parlamentar. No Brasil, deputado é para lamentar.

Mas é claro que não são só os políticos que levam a nossa pátria amada, idolatrada, salve, salve, para o fundo do poço, o povo e seu jeitinho brasileiro contribuem para que o Brasil seja piada internacional. E cá para nós, a cada dia que passa descobrimos que no fundo do poço que nos encontramos ainda tem vários subsolos.

O povo diz: o Brasil é comandado por nós! Sim, um monte de nós, nós cegos. O Brasil, para mim, é como absorvente feminino, está localizado em um lugar privilegiado, mas em uma época difícil.

Veja a nossa educação, por exemplo, a escola é de samba, sertanejo e o forró agora são universitários e o povo é analfabeto.

Na saúde, nosso país era dengoso, mas evoluiu e agora é zikado. O governo brasileiro é o mais religioso do mundo, em cada hospital que eles fazem, levam um terço.

No esporte, realizamos os jogos olímpicos. O nosso país é tão violento que a nossa primeira medalha foi no tiro. Assim como há 517 anos atrás, os gringos vieram aqui e levaram todo o nosso ouro e o brasileiro que levou mais ouro foi o trombadinha que assaltava uns estrangeiros lá no Rio.

A segurança nem vou comentar. Temos uma das maiores populações carcerárias do mundo e ainda tem mais bandido fora, do que dentro da cadeia.

Gostei dessa nova campanha do governo contra o sedentarismo. Aumentaram o preço da passagem de ônibus, da gasolina e obrigaram todos a andar a pé. O único lugar do Brasil que abaixou o litro da gasolina foi no posto aqui perto de casa, abaixaram para 900 ml.

Dizem que brasileiro só pensa em futebol. Que futebol, que nada, o Brasil precisa mesmo é de educação, segurança, saúde, menos impostos, um centroavante para jogar com o Neymar e um goleiro mais confiável.

E a reforma da previdência? As maternidades terão que passar, a partir de hoje, a emitir carteira de trabalho para os recém-nascidos para que eles possam se aposentar antes de morrer. Estava esses dias juntando os documentos para dar entrada em minha aposentadoria, já que de acordo com as novas regras da previdência social só falta um documento para eu garantir esse benefício: a Certidão de Óbito.

Sei que alguns “patriotas” vão se revoltar com o conteúdo desse texto. A maioria da população do Brasil não se incomoda com nada disso que eu citei quando acontece no nosso dia a dia, mas fica bufando de raiva quando alguém usa isso para fazer piada. E o brasileiro que se preocupa com a piada que um idiota como eu faz, mas que não se preocupa com o que faz o político que ele vota, se acha no direito de dizer que burro é o português.

Enfim, estamos vivendo a semana em que comemoramos o dia do índio e o descobrimento do Brasil, que tal aproveitarmos fazendo uma festa só e devolvermos o país aos verdadeiros donos? Afinal, já dizia Bezerra da Silva: O Brasil só vai sair dessa baderna quando morcego doar sangue e saci cruzar as pernas.