quinta-feira, 27 de abril de 2017

O cemitério do povo


​​​​​Eu via gente morta todo dia. Não, eu não via assombração, é que já trabalhei em um cemitério. O nome do cemitério era "Um Irmão". Antes eram dois, mas um já morreu. E em meio ao sentimento de perda, as pessoas também perdem outra coisa importante nesse momento de dor: a noção!

Já pensei em um dia montar uma empresa de animação de velórios, mas lá eu percebi que não teria mercado. Existem pessoas que fazem isso gratuitamente, já ouvi muitas "pérolas" nos velórios.

Uma vez, em um velório de um atleta, chegou um senhor que parecia estar alcoolizado, pois ele cambaleava muito e nem estava ventando tanto assim. Ao ver o defunto saradão ele comentou: “está vendo, ele acordava cedo, se exercitava, se alimentava bem e morreu novo. Eu que não faço nada e só tomo cachaça estou aqui, bonzinho”.

Outra vez vi uma criança consolando a sua mãe após a perda do pai: "calma mamãe, um dia a senhora vai morrer também".

Certo dia estava eu, de gaiato, fazendo meu horário de almoço quando um desconhecido chegou em mim e me deu os parabéns. Achei estranho, nem era meu aniversário, nem nada, aí perguntei o motivo. Ele me disse: "meus pêsames, desculpa, confundi as palavras".

O pessoal que trabalhava comigo também era muito gente boa. Nas horas vagas a gente brincava de "balança caixão". Também jogávamos um carteado, mas eu sempre perdia dinheiro para os coveiros no jogo de tranca, eles eram muito ligeiros para pegar o "morto".

Outra brincadeira legal que a gente fazia era o jogo do buquê com as coroas de flores. Quando tem casamento, a noiva joga o buquê de flores e quem pegar é a próxima a desencalhar. Lá, a gente jogava a coroa para os participantes do velório para ver quem era o próximo a morrer. 

Está em fase final e deve ser inaugurado ainda esse ano o "Corinthians para Sempre", cemitério que o clube do Parque São Jorge promete ser "o maior cemitério do mundo". Enquanto seu maior rival não tem mundial, o Corinthians quer conquistar seu segundo título, já que conquistou o mundo em 2012. A ideia é que todo o processo, do funeral ao enterro, seja repleta de referências ao clube: da execução do hino a uma coroa de flores com o formato do escudo do Corinthians, mas sem flores verdes, cor que faz alusão ao arquirrival Palmeiras. 

Os coveiros do "Cemitérião da Fiel" serão o técnico Fábio Carille e o atacante Romero, já que eles vivem enterrando o time. Coveiros que nesse cemitério em específico serão chamados de "delegados", em homenagem ao profissional que prende os corintianos em vida e mais uma vez os prenderá, dessa vez para não sair mais. 

O cemitério, grande jogada do marketing alvinegro, terá 402 mil metros de área, ou seja, dará pra "cavar" muitos pênaltis. Se nos 30 metros da área do Itaquerão já tem aquele monte de pênalti, imagina em um espaço desse tamanho. O local contará com aproximadamente 70 mil jazigos, o que particularmente acho pouco. Se colocarem a Rota na rua essas vagas acabam em menos de uma semana. Seria mais interessante construir uma penitenciária (sem dinheiro público dessa vez) para abrir vagas nas outras que estão lotadas. Só sugiro ao Corinthians que enterre todos de bruços, assim se ressuscitarem, cavam pra baixo. 

Vi pichado no muro do cemitério: estou muito feliz, minha sogra saiu do hospital... direto pro cemitério! Ri do humor negro, embora nunca entendesse porque cemitérios precisam de muros, afinal quem está fora não quer entrar e quem está dentro não pode sair. 

segunda-feira, 24 de abril de 2017

Só a cabecinha?


Hoje pela manhã fiquei horas preso no trânsito. Agora sei como a minha vizinha se sentiu quando ficou presa no toboágua do clube. Mas nada que se compare ao caso do pobre Rebel, um cachorro que foi encontrado ganindo e com a cabeça aparecendo do outro lado da parede de 46 centímetros de espessura, enquanto seu corpo se manteve firmemente do outro lado, causando mais alvoroço que bêbado no convento. 

Minha vizinha que ficou presa no toboágua não tem nada em comum com o pobre cachorro, peço desculpas (ao cachorro) pela comparação infeliz. É que desde que ela colocou um piercing na língua, só posta fotos na internet de língua de fora parecendo um cachorro com sede. Fotos que parecem com as de cachorro para adoção: todo mundo curte, mas ninguém quer levar para casa. 

Voltando ao assunto, o dono do animal (do cachorro) disse que essa história toda lhe rendeu a maior dor de cabeça. O que é no mínimo curioso, visto que quem quase teve a cabeça serrada pelos bombeiros foi o cachorro, não ele. Segundo ele, o cachorro brincava no quintal quando enfiou a cabeça em um buraco existente no muro. Aí eu pergunto: brincava do quê? De Copa do Mundo, ele era o Zidane e deu uma cabeçada no muro que era o zagueiro da Itália?

Era um cão pastor e como de praxe quis dar uma mudadinha de leve nas escrituras. Em Marcos capítulo 10, versículo 25 diz: “é mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha do que um rico entrar no reino dos céus”. Ele quis mudar de camelo para cachorro e de agulha para parede. O problema é que ficou preso e nem deu para passar recolhendo o dízimo.

Outra escrita caiu por terra com essa história: a de que se passar a cabeça o resto passa fácil. Escrita que para mim nunca fez sentido, afinal, ao contrário do cachorro, pênis não tem ombro.

Já vi vários cachorros subindo pelas paredes a ponto de confundir minha perna com uma cachorra, mas cachorro entrando pelas paredes é a primeira vez que eu vejo.

No fim das contas, essa história nos deixa um aprendizado: esse negócio de "colocar só a cabecinha" quase sempre acaba com alguém sendo retirado à força.

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Vamos devolver o Brasil para os índios?


Sempre me perguntam: direita ou esquerda? Na verdade, o que queria mesmo era que o Brasil fosse para frente. Hoje o Brasil está dividido, de um lado mortadela, do outro coxinha. Eu estou aqui no meio só pensando em comer os dois.

O Brasil é um país maravilhoso onde só faltam duas coisinhas: ordem e progresso. Aqui muitas pessoas realmente acreditam que o voto seja uma arma, acreditam tanto que acabam cometendo suicídio coletivo na hora que votam. Dão umas dedadas na urna e na maioria das vezes, salvo raras exceções, passam quatro anos tomando dedadas do governo. No mundo, deputado é parlamentar. No Brasil, deputado é para lamentar.

Mas é claro que não são só os políticos que levam a nossa pátria amada, idolatrada, salve, salve, para o fundo do poço, o povo e seu jeitinho brasileiro contribuem para que o Brasil seja piada internacional. E cá para nós, a cada dia que passa descobrimos que no fundo do poço que nos encontramos ainda tem vários subsolos.

O povo diz: o Brasil é comandado por nós! Sim, um monte de nós, nós cegos. O Brasil, para mim, é como absorvente feminino, está localizado em um lugar privilegiado, mas em uma época difícil.

Veja a nossa educação, por exemplo, a escola é de samba, sertanejo e o forró agora são universitários e o povo é analfabeto.

Na saúde, nosso país era dengoso, mas evoluiu e agora é zikado. O governo brasileiro é o mais religioso do mundo, em cada hospital que eles fazem, levam um terço.

No esporte, realizamos os jogos olímpicos. O nosso país é tão violento que a nossa primeira medalha foi no tiro. Assim como há 517 anos atrás, os gringos vieram aqui e levaram todo o nosso ouro e o brasileiro que levou mais ouro foi o trombadinha que assaltava uns estrangeiros lá no Rio.

A segurança nem vou comentar. Temos uma das maiores populações carcerárias do mundo e ainda tem mais bandido fora, do que dentro da cadeia.

Gostei dessa nova campanha do governo contra o sedentarismo. Aumentaram o preço da passagem de ônibus, da gasolina e obrigaram todos a andar a pé. O único lugar do Brasil que abaixou o litro da gasolina foi no posto aqui perto de casa, abaixaram para 900 ml.

Dizem que brasileiro só pensa em futebol. Que futebol, que nada, o Brasil precisa mesmo é de educação, segurança, saúde, menos impostos, um centroavante para jogar com o Neymar e um goleiro mais confiável.

E a reforma da previdência? As maternidades terão que passar, a partir de hoje, a emitir carteira de trabalho para os recém-nascidos para que eles possam se aposentar antes de morrer. Estava esses dias juntando os documentos para dar entrada em minha aposentadoria, já que de acordo com as novas regras da previdência social só falta um documento para eu garantir esse benefício: a Certidão de Óbito.

Sei que alguns “patriotas” vão se revoltar com o conteúdo desse texto. A maioria da população do Brasil não se incomoda com nada disso que eu citei quando acontece no nosso dia a dia, mas fica bufando de raiva quando alguém usa isso para fazer piada. E o brasileiro que se preocupa com a piada que um idiota como eu faz, mas que não se preocupa com o que faz o político que ele vota, se acha no direito de dizer que burro é o português.

Enfim, estamos vivendo a semana em que comemoramos o dia do índio e o descobrimento do Brasil, que tal aproveitarmos fazendo uma festa só e devolvermos o país aos verdadeiros donos? Afinal, já dizia Bezerra da Silva: O Brasil só vai sair dessa baderna quando morcego doar sangue e saci cruzar as pernas.

segunda-feira, 17 de abril de 2017

Belo e a sucessão de sucesso


​​​​​O colunista do UOL, Chico Barney, publicou essa semana que o cantor Belo vem se firmando como sucessor do Rei Roberto Carlos, o que deixou os súditos do Rei mais aborrecidos do que são-paulino na zona. 

Os fãs do rei, argumentaram que o colunista está mais por fora do que bunda de índio e que é mais fácil varrer a escadaria da Penha de baixo para cima, do que isso acontecer.

Já as fãs do pagodeiro, mais faceiras que pintinho no lixo ou gordinho como eu de camiseta nova, disseram que o Belo, que na verdade é mais feio que encoxar a mãe no tanque na semana santa, superará o Roberto Carlos, provocando dizendo que ele é Rei porque no show dele só vai coroa.

Nos dias atuais, as pessoas inventam estatísticas para provar qualquer coisa, 99% das pessoas sabem disso e concordam comigo. O colunista do UOL, por sua vez, usou seis argumentos para comprovar a sua tese. Eu também vou avaliar, mas de forma mais inútil do que mijar em incêndio:

1. CONSISTÊNCIA

O autor disse que assim como podemos esperar o especial do Roberto Carlos no final do ano, anualmente também podemos esperar um disco novo do ex-vocalista do Soweto. Ou seja, o especial que chega junto com o Papai Noel e é mais manjado que panetone no Natal, é tão comum quanto o disco daquele que tem olhos vermelhos (não preciso nem citar o motivo) e pelos branquinhos (oxigenados, mas branquinhos), fazendo referência a outro feriado especial cristão.

2. REPERTÓRIO

O repertório dos dois também foi comparado. Embora eu não entenda muito de música, com uma perna só (sem referências) o Roberto tem um repertório melhor que o Belo. É uma comparação igual cravo em cima do beijinho: desnecessário. Se tem alguém que não entendeu a tal comparação, esse cara sou eu! 

3. ROMANTISMO

Os dois falam muito de amor e cá para nós, casamento é bom demais! Já fui em vários. Realmente os dois são muito românticos, tanto que as mulheres procuram encontrar o "cara" que o Roberto Carlos descreve em sua música. Seria mais fácil encontrar se a maioria não agissem como as garotas do repertório da Deize Tigrona. Hoje quando a maioria das garotas fazem piada em rede social dizendo que está grávida, metade do bairro já fica preocupado, menos eu, claro.

4. RELIGIOSIDADE

O Rei Roberto Carlos tem grandes sucessos dedicados à Nossa Senhora e a Jesus Cristo. Belo também é bastante religioso, tanto que quando foi preso por tráfico de drogas, ao ser interrogado se toda aquela droga era dele ele disse: toda não, só um terço. Mas o Belo não é o primeiro religioso que vende drogas, o Padre Marcelo Rossi, por exemplo, já vendeu quase um milhão de discos.

5. POLÊMICAS

Ambos já se envolveram em polêmicas daquelas que olhamos e exclamamos: que papelão! Atualmente quando usamos esta exclamação, Roberto Carlos acha que estamos nos referindo à carne que ele é garoto propaganda. Belo sempre está envolvido em polêmicas com mulheres. Eu também estive envolvido em uma polêmica com minha mulher esses dias, quando ela encontrou uma calcinha no meu quarto. Tive que dizer que sou travesti, já pensou se ela descobre a verdade? Ia dar um problemão se ela soubesse que sou um revendedor DeMillus. 

6. INTERESSE GERAL

O maior interesse que o cantor Belo me despertou foi o seguinte: por que será que o milho verde é amarelo, o quadro-negro é verde, o Halls preto é branco e o cantor Belo é feio?

Enfim, em um país onde Neymar é sucessor do Pelé, Felipe Massa é sucessor do Ayrton Senna e Anitta é a sucessora da Elis Regina, não me surpreende ouvir dizer que o Belo é o sucessor do Roberto Carlos. Daqui a pouco vão publicar que o Valdemiro Santiago é o sucessor de Jesus Cristo. 

E para você, caro leitor, quem é o sucessor do Rei Roberto Carlos? Eu não sei, só digo uma coisa, comparações nem sempre são justas e são mais perigosas que macaco brincando com navalha. 

quinta-feira, 13 de abril de 2017

É meu ovo!


Chegou a semana santa. Momento que muitos cristãos usam para reflexão e conversão, para lembrar do sacrifício de Jesus na cruz, Ele que apanhou mais que pandeiro na gafieira e sofreu mais que joelho de freira na semana santa, mas que venceu a morte ressuscitando no terceiro dia.

Minha mulher sempre disse que tenho que imitar Jesus. Falei para ela que nesse feriado ia imitar: sumir na sexta e só aparecer no domingo. Ela não gostou muito e me disse que eu poderia ir, mas consciente que ela faria como Judas: iria me trair. Realmente não dá para confiar nas mulheres, pois uma pesquisa apontou que metade das mulheres já traiu o parceiro. Isso significa que provavelmente já fui traído pela minha mulher ou pela minha amante.

Voltando ao assunto, já disse que para uns é tempo de reflexão, mas para a grande maioria do povo é apenas mais um feriado qualquer, sem valor igual argentina na zona. Muitos vão falar que essa comparação é uma indireta para alguém, mas logo digo que não sou como certas pessoas que ficam mandado indiretas nas redes sociais. Agora, já pensou se Jesus mandasse indiretas: "Eu morri na cruz por umas pessoas aí e elas estão bem de boa tomando cerveja e esqueceram de mim".

Eu tenho tanto pecado que nem me confesso mais: presto depoimento. E já até bolei meu plano maligno para ganhar um ovo de páscoa da minha mãe. Vou dizer para ela: já vou avisando, mãe, se não me der ovo de páscoa, vou dar showzinho no meio do supermercado e quem vai passar vergonha é a senhora. Vai que cola!

O grande protagonista da Páscoa hoje em dia nem é Jesus. O coelhinho que bota ovo de chocolate dá mais retorno ao comércio, a não ser que seu comércio seja uma igreja, é claro. 

Vi uma barra de 125 gramas de chocolate, de uma boa marca, custando R$ 4,45 em um grande hipermercado, enquanto um ovo de Páscoa da mesma marca e com o mesmo peso custava R$ 59,90. O que tem dentro desse ovo? O diploma da faculdade, uma carteira assinada e a chave de uma casa na praia? Ok, parei de reclamar do preço do ovo e vou fazer a minha parte para que eles fiquem mais baratos. Agora mesmo estou indo no mercado quebrar alguns. 

Esses dias apareceu uma mulher querendo me vender ovo de colher. Oxi, eu nem sabia que colher botava ovo! 

Hoje, dia 13 de abril, também é comemorado o dia do beijo. Estava triste por ter passado o dia do beijo sem beijar, mas vou olhar pelo lado positivo. Já passei o carnaval sem festejar, vou passar a Páscoa sem chocolate e ao que tudo indica, se continuar assim, tenho boas chances de passar o dia de finados sem morrer.

terça-feira, 11 de abril de 2017

O futebol respira!


Ontem, pelas quartas de finais do Campeonato Paulista, Santos x Ponte Preta se enfrentaram e aconteceu algo no mínimo curioso. No finalzinho do primeiro tempo, o árbitro do jogo não deu um pênalti claro para o Santos, o que indignou a equipe santista. O preparador físico do Peixe, Celso Resende, ofereceu seus óculos para o juizão enxergar melhor o jogo e acabou expulso do banco de reservas.

Isso me fez lembrar uma vez que injustamente fui expulso na várzea, quando mandei um árbitro careca tirar a franja do olho para enxergar direito.

Voltando ao jogo de ontem, sem trocadilho, não sei como o árbitro enxergou maldade nesse gentil gesto de fé cristã em plena semana santa, realmente precisa de óculos. Esse mundo está ao avesso, o rapaz ser expulso quando na verdade merecia um prêmio de Fair Play (jogo limpo).

O Steve Wonder, digo, o juizão que não enxergava nada igual anão em comício, disse após o jogo que não aceitou os óculos porque a regra do jogo diz que não se pode ter interferências externas nas decisões dele. Mas na minha opinião ele foi burro, eu aceitaria o presente, tendo em vista que um óculos hoje custa no mínimo 300 reais.

Eu não sou santista, mas acho que os óculos tinham que ser oferecidos ao técnico Dorival Júnior, que não enxerga o que acontece em campo desde que começou o campeonato, este, segundo a torcida, está mais cego do que tatu durante o dia.

O bandeirinha que estava ao lado do ocorrido ressaltou que os óculos não tinha lentes, o que claramente caracteriza uma armação da equipe do Santos.

No fim das contas a Ponte Preta eliminou o Santos e o juizão retribuiu a gentileza: ofereceu um sofá para que a equipe santista assista de casa o restante do Paulistão. 

quinta-feira, 6 de abril de 2017

É duro ser duro!


Eu sou pobre. E enquanto eu vejo milhões de brasileiros nas ruas protestando, eu também fui a vários protestos este mês: no SPC e no SERASA. Se tempo é dinheiro, meu relógio só vive atrasado.

Ando mais duro que bochecha de estátua, tão duro que quando eu entro nas lojas, os vendedores já abaixam a cabeça sabendo que só vou perguntar o preço. O diploma da faculdade até agora só me serviu para uma coisa: forrar a gaiola do passarinho.

Ultimamente ando mais apertado que saco de Cowboy. Fui ao banco pegar um empréstimo esses dias e nem consegui entrar. O detector de metal da porta giratória ficava travando por causa do prego que estava remendando minhas havaianas.

Não sei o que é melhor, ser feio e rico ou ser bonito e pobre. Mas eu sei muito bem o que é ser pobre e feio. A vida de pobre é muito difícil e ninguém faz nada para melhorar a nossa vida, a não ser um dos grandes gênios da humanidade, o chinês que inventou a raquete elétrica de matar pernilongos. Esse sim olhou para os pobres!

O pior lado da pobreza é querer comer coisas diferentes e não poder. Hoje se eu conseguir comer um frango, pode ter certeza que é porque eu ou ele está doente. Adoro laranjada, mas só tomo quando sai briga na feira.

Ser pobre na era da tecnologia também não é legal. Eu queria equipar meu computador que é mais lento que coice de porco. O teclado é tão antigo que mais parece o de uma máquina de datilografia. Meu celular é moderno, mas ganhei de uma amiga. Esses dias recebi uma mensagem de um amigo me chamando de pobre, mas não respondi porque não tinha créditos.

Comentava sobre minha pobreza com um amigo e ele me disse: “nossa, você está comendo o pão que o diabo amassou, hein?”. Eu respondi: “sim, o pão que ele amassou na semana passada”.

Ontem veio um mendigo falar comigo e me pediu um pão. Eu não podia ajuda-lo porque estava mais duro que ele. Mas fui categórico ao dizer que não poderia ajudar porque já era quase meio dia e que se ele comesse pão naquele horário não iria conseguir almoçar direito.

Já pensei em jogar na loteria para tentar ficar rico, mas pensando bem, se eu tivesse sorte na vida não estaria nessa situação. E também tenho medo de ficar rico sabe, sempre ouvi dizer que pobre é que nem lombriga, quando sai da merda, morre.

Termino por aqui, vou desligar o computador para economizar na conta de luz. O clima está chato aqui em casa ultimamente, principalmente depois do dia que eu pedi mesada para o meu pai. E se eu fosse contar todo o aperreio que eu passo devido a pobreza, esse texto nunca chegaria até aqui, a ultima linha.

domingo, 2 de abril de 2017

Top 10 - Dia da mentira


O dia da mentira foi ontem, mas como fui sequestrado por alienígenas e levado para um planeta distante, nem tive tempo de postar aqui no blog e... tudo bem, é mentira, não postei por preguiça mesmo.

Adoro mentira! E como um amante de mentiras absurdas e engraçadas eu não poderia deixar passar essa data tão especial em branco. Antes que me julguem mal, eu gosto de mentiras em que as pessoas usam da criatividade para inventar histórias bizarras como as que vamos ver nesse texto e não daquelas que são feitas apenas para prejudicar alguém. Vou contar agora as top 10 maiores mentiras que já ouvi na minha desprezível existência:

10 – O óculos mágico

Um amigo me disse na época de escola que ele possuía um óculos que possibilita enxergar através das paredes e na hora do intervalo sentava na porta do banheiro das meninas e fingia que estava vendo as garotas peladas. Tinha gente que acreditava, mas eu sempre soube que única coisa que possibilita enxergar através das paredes é a janela.

9 – O poço das almas

Uma vez me contaram que em uma cidade do interior, todo mundo que ia dormir sem beber água morria, pois a alma ficava com sede, ia pegar água no poço, caía e morria. Eu achei a história sem noção, já que para brincar de “caiu no poço” não tinha que dormir com sede e sim com fome, para levantar e comer pera, uva, maçã ou salada mista.

8 – O cigarro da vovó

Outro amigo uma vez me disse que a sua avó para acender um cigarro, esfregava duas pedras uma na outra e acendia com as faíscas. Caro leitor, feche os seus olhos e imagine a velha tentando acender o cigarro desse jeito. A velha que fuma e ele que fica doidão.

7 – O rei da mira

Em um bate-papo sobre a violência no bairro em que moramos, um amigo me solta que certa vez viu dois caras discutindo, até que um deles sacou uma arma e deu um tiro para cima. A bala caiu bem na cabeça do outro que estava correndo em fuga. Essa mentira me fez lembrar de uma parte da minha infância na favela. Teve uma época que eu era o único garoto da rua que tinha um revolver de verdade. Um mês depois, eu era o único garoto da rua.

6 – A galinha turbinada

Um amigo me disse viu uma galinha voar de uma rua até a outra por cima das casas, que a galinha deu um voo rasante de quase 80 metros. Tudo bem que estão adulterando os galináceos e todo tipo de bicho por aí, mas alimentar galinha com pólvora é a primeira vez que vejo.

5 – Os cocos na casa de mamãe

Um cidadão que nem conheço, mas que depois dessa passei a considerar pacas, me disse que quando vai para a casa de mamãe na Bahia, já compra um caminhão de cocos e despeja a água todinha na caixa d’água, assim quando quiser beber água de coco é só abrir a torneira. Mentira danada hein, meu rei!

4 – O campeão do futebol

Um amigo me disse que tinha sido campeão de futebol representando a escola que a gente estudava. Não acreditei e ele disse que tinha medalha para esfregar na minha cara. Pedi para ele esfregar sem problema e ele me disse que não ia pegar a medalha naquele momento porque tinha guardado embaixo de umas caixas pesadas na casa dele. Continuei insistindo e ele me disse: não aguento as caixas, fui campeão de futebol, não de levantamento de peso. Então tá!

3 – O espírito do marinheiro

A mãe de um amigo me procurou pedindo ajuda porque segundo ela, esse meu amigo encontrou o nome dele costurado na boca de um sapo e desde então vem sendo possuído pelo espírito de um marinheiro. Bom, tratando-se daquela figura, já sabia que era algum golpe e em uma semana já pude comprovar que coincidentemente a possessão sempre ocorria no percurso quando ele saía do bar e voltava para casa.

2 – O homem-gato

Certa vez, um amigo lançou a fofoca de que a Dona Maria e o Seu Zé eram amantes. Perguntei se ele podia provar e ele me disse que sim, que toda noite ele via um gato preto entrando na casa da Dona Maria e que o referido gato era o Seu Zé que usava de poderes sobrenaturais para se transformar no animal. Perguntei como ele chegou a essa conclusão e ele me disse: simples, um dia dei uma pedrada nas costas do gato e no dia seguinte fui conversar com o Seu Zé e ele me disse que estava com dores nas costas!

1 – O blog engraçado

Vou contar uma minha agora: voltei com esse blog porque vários amigos pediram pelo fato de eu escrever muito bem e meus textos serem muito engraçados. Então, atendendo a milhares de pedidos resolvi voltar. Volte sempre aqui e divirta-se!