terça-feira, 11 de abril de 2017

O futebol respira!


Ontem, pelas quartas de finais do Campeonato Paulista, Santos x Ponte Preta se enfrentaram e aconteceu algo no mínimo curioso. No finalzinho do primeiro tempo, o árbitro do jogo não deu um pênalti claro para o Santos, o que indignou a equipe santista. O preparador físico do Peixe, Celso Resende, ofereceu seus óculos para o juizão enxergar melhor o jogo e acabou expulso do banco de reservas.

Isso me fez lembrar uma vez que injustamente fui expulso na várzea, quando mandei um árbitro careca tirar a franja do olho para enxergar direito.

Voltando ao jogo de ontem, sem trocadilho, não sei como o árbitro enxergou maldade nesse gentil gesto de fé cristã em plena semana santa, realmente precisa de óculos. Esse mundo está ao avesso, o rapaz ser expulso quando na verdade merecia um prêmio de Fair Play (jogo limpo).

O Steve Wonder, digo, o juizão que não enxergava nada igual anão em comício, disse após o jogo que não aceitou os óculos porque a regra do jogo diz que não se pode ter interferências externas nas decisões dele. Mas na minha opinião ele foi burro, eu aceitaria o presente, tendo em vista que um óculos hoje custa no mínimo 300 reais.

Eu não sou santista, mas acho que os óculos tinham que ser oferecidos ao técnico Dorival Júnior, que não enxerga o que acontece em campo desde que começou o campeonato, este, segundo a torcida, está mais cego do que tatu durante o dia.

O bandeirinha que estava ao lado do ocorrido ressaltou que os óculos não tinha lentes, o que claramente caracteriza uma armação da equipe do Santos.

No fim das contas a Ponte Preta eliminou o Santos e o juizão retribuiu a gentileza: ofereceu um sofá para que a equipe santista assista de casa o restante do Paulistão. 

Nenhum comentário: