quinta-feira, 20 de abril de 2017

Vamos devolver o Brasil para os índios?


Sempre me perguntam: direita ou esquerda? Na verdade, o que queria mesmo era que o Brasil fosse para frente. Hoje o Brasil está dividido, de um lado mortadela, do outro coxinha. Eu estou aqui no meio só pensando em comer os dois.

O Brasil é um país maravilhoso onde só faltam duas coisinhas: ordem e progresso. Aqui muitas pessoas realmente acreditam que o voto seja uma arma, acreditam tanto que acabam cometendo suicídio coletivo na hora que votam. Dão umas dedadas na urna e na maioria das vezes, salvo raras exceções, passam quatro anos tomando dedadas do governo. No mundo, deputado é parlamentar. No Brasil, deputado é para lamentar.

Mas é claro que não são só os políticos que levam a nossa pátria amada, idolatrada, salve, salve, para o fundo do poço, o povo e seu jeitinho brasileiro contribuem para que o Brasil seja piada internacional. E cá para nós, a cada dia que passa descobrimos que no fundo do poço que nos encontramos ainda tem vários subsolos.

O povo diz: o Brasil é comandado por nós! Sim, um monte de nós, nós cegos. O Brasil, para mim, é como absorvente feminino, está localizado em um lugar privilegiado, mas em uma época difícil.

Veja a nossa educação, por exemplo, a escola é de samba, sertanejo e o forró agora são universitários e o povo é analfabeto.

Na saúde, nosso país era dengoso, mas evoluiu e agora é zikado. O governo brasileiro é o mais religioso do mundo, em cada hospital que eles fazem, levam um terço.

No esporte, realizamos os jogos olímpicos. O nosso país é tão violento que a nossa primeira medalha foi no tiro. Assim como há 517 anos atrás, os gringos vieram aqui e levaram todo o nosso ouro e o brasileiro que levou mais ouro foi o trombadinha que assaltava uns estrangeiros lá no Rio.

A segurança nem vou comentar. Temos uma das maiores populações carcerárias do mundo e ainda tem mais bandido fora, do que dentro da cadeia.

Gostei dessa nova campanha do governo contra o sedentarismo. Aumentaram o preço da passagem de ônibus, da gasolina e obrigaram todos a andar a pé. O único lugar do Brasil que abaixou o litro da gasolina foi no posto aqui perto de casa, abaixaram para 900 ml.

Dizem que brasileiro só pensa em futebol. Que futebol, que nada, o Brasil precisa mesmo é de educação, segurança, saúde, menos impostos, um centroavante para jogar com o Neymar e um goleiro mais confiável.

E a reforma da previdência? As maternidades terão que passar, a partir de hoje, a emitir carteira de trabalho para os recém-nascidos para que eles possam se aposentar antes de morrer. Estava esses dias juntando os documentos para dar entrada em minha aposentadoria, já que de acordo com as novas regras da previdência social só falta um documento para eu garantir esse benefício: a Certidão de Óbito.

Sei que alguns “patriotas” vão se revoltar com o conteúdo desse texto. A maioria da população do Brasil não se incomoda com nada disso que eu citei quando acontece no nosso dia a dia, mas fica bufando de raiva quando alguém usa isso para fazer piada. E o brasileiro que se preocupa com a piada que um idiota como eu faz, mas que não se preocupa com o que faz o político que ele vota, se acha no direito de dizer que burro é o português.

Enfim, estamos vivendo a semana em que comemoramos o dia do índio e o descobrimento do Brasil, que tal aproveitarmos fazendo uma festa só e devolvermos o país aos verdadeiros donos? Afinal, já dizia Bezerra da Silva: O Brasil só vai sair dessa baderna quando morcego doar sangue e saci cruzar as pernas.

2 comentários:

Bruna Prado disse...

Ótima reflexão!

Rodrigo Portuga disse...

Obrigado, Bruna! Saudades!