quarta-feira, 24 de maio de 2017

Ao delator, o prêmio!


Lembra no tempo da escola, quando a professora falava que ia dar ponto para quem entregasse quem estava colando ou fazendo bagunça? Então, isso é delação premiada. E foi isso que fez um dos donos da JBS, entregou políticos corruptos e fez mais barulho que peido de burro atolado.

O cara entregou o Temer, Aécio, Lula e Dilma. Olha, se organizar direitinho dá para prender todo mundo. O Temer disse que não vai renunciar e que o Brasil ainda tem saída. No caso dele só se for pela fronteira. Ele foi o único político que conseguiu unir o Brasil, afinal, ninguém gosta dele.

Já pensou se a moda pega? Se eu fizer uma delação premiada, eu acabo com o casamento de todos os meus amigos.

No Brasil a frase “trago boas notícias” só pode ser dita quando você fuma um cigarro enrolado em um jornal de outro país. Embora esse assunto seja mais chato que dobrar lençol com elástico, eu fico revoltado quando vejo essas notícias. Eu não aguento mais ser o único brasileiro a não receber propina.

Caiu Dilma, Cunha, agora o Temer, meu amigo vascaíno está torcendo para cair o Aécio também e fechar quatro, assim o Vasco não cai esse ano.

Concordo que o Temer tem que sair, mas a primeira dama poderia assumir o lugar dele. A propósito, esses dias saí com uma garota e também achei que ela estava interessada no meu dinheiro. Foi aí que pensei: mas que dinheiro?

Além do mais, ele vinha acabando com o país. Todos os dias quando acordo, pego o jornal e penso: qual será o direito que perdemos hoje?

Além do Temer, a delação fez a casa do Aécio cair também. Engraçado eram os apoiadores dele protestando contra corrupção com a camiseta da CBF, o órgão mais corrupto desse Brasilzão de meu Deus. Agora me aparece o Lula dizendo que o PT pode ensinar a combater a corrupção. É a mesma coisa que eu com essa barriga de cadela prenha aparecer dizendo que sou personal trainer.

Estou ouvindo o pessoal que votou na Dilma dizendo: votei na Dilma e não no Temer. Beleza, eu votei na Dilma, mas concordo que a chapa já vai para o segundo impeachment. Se eu tivesse votado no Collor lá atrás já poderia pedir música no Fantástico.

Como já disse, a delação respingou em um monte de gente. Mais de uma centena de políticos já receberam propina da JBS. Os políticos são como pardais: andam sempre em bando. E o pardal assim como os políticos raramente são vistos presos.

Falando em bicho, vou jogar no jogo do bicho o número dos partidos envolvidos em corrupção. Vai ser tanto número que dificilmente não vou acertar nenhum.

Enfim, agora é esperar para ver o que vai dar e as cenas dos próximos capítulos. Esperar para ver se colocam alguém na presidência ou se fazem uma nova eleição. Do jeito que as coisas vão, o maluco do Bolsonaro vai ganhar por w.o, a não ser que a Marina Silva reapareça querendo concorrer com ele. A Marina é como se fosse a herpes do país: fica escondidinha, mas quando a imunidade abaixa, ela aparece enchendo o saco.

Agora vou parar por aqui e ir lavar a louça. Lá na pia tem alguns pratos e a quantidade me faz lembrar os protestos contra esses políticos no dia de ontem: a PM (minha mãe) diz que são 10 pratos, mas os organizadores (eu) dizem que são 50.

Nenhum comentário: