segunda-feira, 1 de maio de 2017

Feliz dia do trabalho!


​​​​​Primeiro de maio, dia do trabalho. Dia que me deixa mais intrigado que surdo em bingo. Ora pois, vejam o que acontece no dia das mães, por exemplo, mesmo que a pessoa esteja mais perdida que Adão nesse dia, ela dá um jeito de ir visitar a velhinha, nem que seja a sepultura dela. No dia dos namorados, idem, as filas nos motéis são tão grandes que mal dá tempo de trocar o lençol entre uma furunfada e outra. Agora, no dia do trabalho todo mundo fica em casa mais folgado que amendoim em boca de banguelo.

Certo que no meu caso, ficar em casa em qualquer feriado não tem muita vantagem. Minha mãe fica pedindo para eu fazer serviços domésticos, quando ela me grita eu já tenho que me trancar no banheiro só pra ver se alguém lava a louça antes que ela peça pra eu lavar. 

Eu adoro meu trabalho, principalmente quando estou de férias. E vejo muita gente que trabalha por conta própria contando vantagem. Esses dias estava em um táxi e o motorista disse: "eu amo meu trabalho, eu sou meu próprio patrão, ninguém me diz o que fazer". Na mesma hora a voz do GPS disse: "vire à esquerda".

E se do jeito que está, está ruim pra você, imagina pra quem trabalha no domingo. Ops, calma aí, eu trabalho no domingo.

Hoje, dia do trabalho, serve para refletirmos sobre o valor de cada trabalho e de cada vocação. Tenho um amigo que queria ser cabeleireiro, mas a mãe não deixou porque segundo ela era profissão de gay. Depois ele mudou de ideia e decidiu ser estilista ou maquiador, mas ela também não deixou porque era profissão de gay. Conclusão: hoje ele é um gay desempregado.

Pior que estar desempregado, é estar trabalhando com o que não gosta. Vejo gente metida e orgulhosa dando o braço a torcer só para por gesso e ganhar atestado. Esse é o famoso funcionário abelha: quando não está zoando, está voando ou fazendo cera.

Nem precisa ser eletricista para me olhar e perceber que estou sem energia nenhuma pra trabalhar hoje. Tenho trabalhado tanto que quando chego em casa tenho que escolher entre jantar, banhar ou dormir para não chegar atrasado de volta no serviço.

Serviço que por sinal está difícil conseguir. Me lembro das entrevistas que fiz e que mesmo tomando banho, fazendo a barba, sendo simpático e tudo mais, não fui aprovado. Teve uma em uma grande multinacional em que o entrevistador perguntou como eu me defino. Respondi que  me defino fazendo abdominais e flexões de braço, mas acho que não era bem essa a resposta certa. Em outra empresa me perguntaram com o que eu trabalhava no emprego anterior, respondi que trabalhava com vontade de ir para a casa. Também não fui aprovado.

Atualmente no mercado, a cada dia aparece uma nova profissão. Meu primo, por exemplo, se intitula "Técnico especializado em utensílios de superfície metálicas", mas na realidade trabalha com um carrinho recolhendo latinhas na rua para vender. Meu tio é o patrão dele e diz que trabalha com antiguidades, ou seja, trabalha no ferro-velho. Meu irmão diz que é "Segurança especializado em veículos", isto é, flanelinha. Minha mulher trabalha realizando fantasias, mas antes que pense besteira já informo: ela é costureira de escola de samba.

Hoje também é celebrado o fato de ao longo da história os trabalhadores terem conquistado vários direitos. Hoje podemos folgar de forma remunerada e sentir na pele por um dia como é a vida de um líder de sindicato durante o ano inteiro.

O lado legal da história é que nesse feriado pudemos emendar e descansar um pouquinho mais. Juro que queria entender que conta que fez o sujeito que inventou o fim de semana, para ele chegar a conclusão de que apenas dois dias eram suficientes para gente repor as nossas energias.

Enfim, vou voltar ao meu sono de beleza, afinal estou precisando. E quanto a você, se estiver lendo isso entre 8h e 18h de um dia útil, recomendo que volte ao trabalho.

Nenhum comentário: