quinta-feira, 30 de agosto de 2018

Um milagre pra cachorro!


Não sei como alguém pode fazer mal a um animal. Ainda mais a um cachorro que provavelmente é o animal mais amado do mundo. Está em todo lugar, em filmes, letras de músicas, a meia noite latindo na casa do vizinho. Se eu fosse um animal, queria ser um cachorro. Eles dormem o dia inteiro e quando acordam, o dono fala: "vai dormir". Só não entendo uma coisa sobre esses adoráveis bichos: se os cachorros têm o olfato muito mais potente que humanos, por que cheiram tão de perto o traseiro um do outro? 

Um amigo me disse uma vez que não há nada mais puro que o sorriso de um cão. Confesso que nunca vi. Já até contei piada para o Mortadela (meu cachorro) uma vez, mas ele não riu. Nem meu melhor amigo ri das minhas piadas. 

O Mortadela vivia perseguindo as pessoas de bicicleta. Um dia minha paciência acabou e tive que tomar uma atitude: tomei a bicicleta dele. Outra coisa que não entendo, é por que os cachorros correm para a porta quando a campainha toca? Raramente é para eles a visita.

Vi no Facebook esses dias que um psicólogo está vendendo um vídeo "Como testar o Q.I. do seu cachorro". Deve funcionar assim, se você gastar R$ 19,99 no DVD, com certeza seu cachorro é mais esperto que você. Falando em fatores psicológicos, acho que o motivo das pessoas terem cachorro é por segurança. Pela segurança de saber que existe pelo menos uma criatura nesse mundo que realmente gosta de você. Namorei uma garota que tinha uma cachorrinha e a miserável era muito chata, mas da cachorrinha eu até gostava.

Mas infelizmente nem todo mundo gosta de cachorro. Em Malta, uma cachorra recebeu 40 tiros de uma arma de pequeno calibre e foi enterrada viva. Contrariando qualquer probabilidade, ela foi encontrada por uma pessoa que passava pelo local. Star, como foi batizada, estava gemendo e somente com o focinho para fora da terra. A cachorra foi operada e passa bem. Já recebeu inúmeras propostas de adoção, mas agora ela prefere dar testemunho em igrejas evangélicas, afinal não é qualquer um que ressuscita.  

Enfim, fico triste com tamanha maldade. Estou meio sensível com essa história, tanto que minha namorada falou que eu sou um cachorro e meu humor só mudou agora quando ela me levou para passear.

quinta-feira, 23 de agosto de 2018

Morri, mas passo bem!


Passei mal no final de semana, fiquei com 40 graus de febre. E pude perceber o quão forte são as mulheres, não sei se é ironia, mas uma vez ouvi dizer que durante o parto as dores são tão fortes, que uma mulher quase consegue imaginar o que sente um homem com febre.

Para vocês que dizem que eu não pego ninguém, uma novidade: peguei uma gripe. Menos mal que não é gripe suína, já estava xingando o meu amigo Presuntinho por ter me contaminado. 

Quando ficamos mais velhos começamos a ficar igual ao meu carro: arruma o motor, fura o radiador, troca a embreagem, fura o tanque de gasolina e assim por diante. Percebo que a idade está chegando, pois quando eu era novo, o Mar Morto só estava doente. Daqui uns dias quando eu adoecer não vou mais precisar de médico, mas sim de um arqueólogo. 

Esses dias me ligaram oferecendo um plano de saúde. Eu recusei, já que eu não tinha plano de ficar doente. Me dei mal, afinal, tive que ir para um hospital público esse final de semana. 

Quando cheguei lá, logo de cara vi uma mulher muito brava, xingando todo mundo. Acho que ela não era paciente. 

Ao lado dela outra cantava: remove a minha pedra, me chama pelo nome ♪♫. Não entendi na hora, mas depois fiquei sabendo que ela tinha pedra nos rins. 

Dizem que sou antissocial, mas sempre faço amizade na sala de espera do hospital. Ganho a simpatia de todos falando mal dos médicos e do atendimento. Ainda mais quando peguei uma senha de atendimento que tinha mais número que o CEP de casa. Quando a atendente me deu aquele número achei que fosse o WhastApp dela. 

Ela me disse: "calma, senhor, é só uma febre, me diga qual é o seu plano". O meu plano é ser atendido rápido e ir embora dessa merda! 

Encontrei uma amiga minha lá no hospital. Eu vomitando e ela tirando foto nossa para colocar no Facebook. Na hora em que vi a postagem quando cheguei em casa pensei: ainda bem que só vomitei e não me caguei todo! 

Meus amigos ainda queriam que eu fosse para a noitada com eles. Me senti como a famosa Sambalelê da cantiga infantil. Sambalelê está doente, está com a cabeça quebrada. Aí o que querem que Sambalelê faça? 

( ) Tome um remédio 

( ) Procure um hospital 

( ) Fique de repouso 

(x) Sambe 

Só faltaram querer me dar umas boas palmadas porque não segui o conselho. Mas a lógica de todo mundo é essa, se você rir enquanto estiver doente, é porque já melhorou.

sexta-feira, 17 de agosto de 2018

Feliz dia do vizinho!


Essa semana é comemorado o dia do vizinho. Há quem não goste, mas vizinho é bom: quando não mora perto da minha casa. Tenho alguns vizinhos que não me curtem, mas adoram fazer comentários e compartilhar com outros. Vizinho é igual vidente, sabe da sua vida toda, mas nem ouse perguntar como.

Você está feliz e tudo está dando certo na sua vida, até aquele vizinho inconveniente te acordar cedo para pedir açúcar. Aquele, logo aquele que sabe sobre a vida de todos os vizinhos, mas não sabe o dia que o caminhão do lixo passa.

Está bom, estou sendo ranzinza, vizinhos tem lá seus lados positivos. Certo que se eu usar Wi-Fi do vizinho não é roubar, a partir do momento que o sinal entra na minha casa, invadindo minha propriedade privada. Quem nunca deu uma de hacker tentando descobrir a senha do Wi-Fi do vizinho com o nome dele mais o ano em que estamos? É apenas um chumbo trocado já que eles não perdem a oportunidade de usar o nosso Wi-Fi. Depois que troquei a senha aqui de casa, nunca mais vi um vizinho aí online. Pior que digitei o nome da minha mulher e descobri a senha do Wi-Fi dele, que burro!

E aquele vizinho que nunca ouviu falar em música boa? Quem não tem! É a 4ª Lei de Newton: para cada vez que o  seu rádio tocar uma música que te agrade, seu vizinho colocará um funk em volume igual ou maior na casa dele. E quando você está dormindo, sonhando que ficou rico e acorda com seu vizinho ouvindo pagode? Isso é tomar uma descarga de alta voltagem de realidade.

Dizem que a grama do vizinho é sempre mais verde. Não é só isso não, o churrasco dele também é sempre mais cheiroso. Esses dias minha sobrinha pegou o meu estilingue e ficou tentando estourar uma lâmpada no quintal do vizinho. Fui lá e dei uma bronca nela: Levanta mais a mão, senão você vai errar!

Ter uma namorada que é vizinha, é como vender droga ao lado da delegacia: não dá certo. Mas quando estou a toa penso: o ônibus ou minha vizinha, o que vier primeiro eu pego. Falando nisso, ontem meu vizinho se envenenou porque descobriu que a filha de 17 anos não é mais virgem. Coitado, tomou veneno com quase cinco anos de atraso.

Outro vizinho morreu esses dias. Ele teve 15 filhos e morreu aos 45 anos. A esposa dele disse que ele ainda era novo, e não gozou a vida. Imagina se tivesse gozado! Ainda nesse assunto, quem nunca acordou no meio da noite ouvindo os vizinhos transando e achou que esqueceu uma aba do navegador aberta?

Tenho um vizinho que se parece com o carro dele, uma Pick-up F250. Quando ele passa todo mundo fala: olha essa bichona!

Enfim, hoje é dia do vizinho, então vamos comemorar! Vamos fazer festa com som alto até amanhecer! E mais, quem nunca fez alguma brincadeira com a cara do vizinho que atire a primeira pedra... na janela dele!

quinta-feira, 16 de agosto de 2018

​​​​​Existe algo organizado no Brasil: o crime!


Sobre o assalto dessa noite eu só digo uma coisa: engordei dois quilos, realmente o crime não compensa. E entre tantas bagunças no nosso país, algo pelo menos é organizado, o crime!

A coisa está feia quando o assunto é violência. Diria que a situação está mais feia do que banguelo gritando gol do Corinthians. A população anda na rua mais desconfiada do que meu avô comprando Viagra em farmácia nova. E eu, assim como você e qualquer outro cidadão de bem venho sofrendo muito com a violência. Põe na tela:

Dias atrás saí com o carro, deixei estacionado e quando voltei, ele não estava mais lá. Testemunhas me falaram que o carro foi roubado. A que ponto chegamos. Imagine o ladrão roubando o carro: “rodas ao alto, é um assalto”. Como se já não bastasse o IPVA.

No dia seguinte eu andava pela rua e dessa vez eu fui abordado: “mãos ao alto, é um assalto”. Mas o ladrão deu azar porque eu estava tão duro que se me chamassem posaria na G Magazine. Pelo menos ele foi caridoso e me deu cinco reais pra eu pegar um ônibus e ir embora.

Mas vi que o mundo estava perdido quando cheguei de surpresa em casa e vi um ladrão roubando a calcinha da minha mulher. Sorte que cheguei e a salvei bem na hora em que ele estava tirando do corpo dela. 

No bairro onde eu moro vira e mexe tem uns tiroteios. Esses dias teve um bem no horário de pico quando os trabalhadores voltavam para suas casas. Agora sempre que o ônibus passa por lá todos passageiros deitam no chão com medo dos tiros. O Governador disse que não tolera mais ver o povo passar por isso e vai tomar uma medida radical: vai substituir todas as cadeiras dos ônibus por camas.

O trânsito no Brasil também é muito violento. Li que em São Paulo um homem é atropelado a cada cinco minutos. Eu se fosse esse cara nem saía mais de casa, vai ser azarado assim lá no inferno, já deve estar todo quebrado!

Esses dias após uma discussão de trânsito vi um cara cimentando o carro do outro na calçada. A vingança foi pesada, mas para mim não faz sentido. Mesmo sem meu carro estar cimentado no chão eu não consigo sair do lugar na maioria dos dias aqui em São Paulo. 

E as drogas? Daria para escrever um livro sobre esse assunto. Esses dias, os traficantes do meu bairro montaram uma barraca de frutas para disfarçar a venda de drogas. Para os nóias foi bom, já que compravam a maconha e já levavam um cacho de banana para a larica. E assim como nas barracas das feiras livres, na barraca deles mulher bonita não paga, mas também não cheira.

Acredito que a população precisa se conscientizar de que a violência não leva a nada. Eu aprendi isso em um simples momento de reflexão. Um dia estava pelado e um pernilongo pousou no meu saco, nesse dia percebi que nem tudo se resolve com violência.

E enquanto acontece tudo isso, nós vamos empurrando essa situação com a barriga e não tomamos atitudes para melhorar. O Brasil precisa de menos opiniões e de mais atitudes. Essa é a minha opinião!

quarta-feira, 8 de agosto de 2018

Só a cabecinha?


Hoje pela manhã fiquei horas preso no trânsito. Agora sei como a minha vizinha se sentiu quando ficou presa no toboágua do clube. Mas nada que se compare ao caso do pobre Rebel, um cachorro que foi encontrado ganindo e com a cabeça aparecendo do outro lado da parede de 46 centímetros de espessura, enquanto seu corpo se manteve firmemente do outro lado, causando mais alvoroço que bêbado no convento. 

Minha vizinha que ficou presa no toboágua não tem nada em comum com o pobre cachorro, peço desculpas (ao cachorro) pela comparação infeliz. É que desde que ela colocou um piercing na língua, só posta fotos na internet de língua de fora parecendo um cachorro com sede. Fotos que parecem com as de cachorro para adoção: todo mundo curte, mas ninguém quer levar para casa. 

Voltando ao assunto, o dono do animal (do cachorro) disse que essa história toda lhe rendeu a maior dor de cabeça. O que é no mínimo curioso, visto que quem quase teve a cabeça serrada pelos bombeiros foi o cachorro, não ele. Segundo ele, o cachorro brincava no quintal quando enfiou a cabeça em um buraco existente no muro. Aí eu pergunto: brincava do quê? De Copa do Mundo, ele era o Zidane e deu uma cabeçada no muro que era o zagueiro da Itália?

Era um cão pastor e como de praxe quis dar uma mudadinha de leve nas escrituras. Em Marcos capítulo 10, versículo 25 diz: “é mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha do que um rico entrar no reino dos céus”. Ele quis mudar de camelo para cachorro e de agulha para parede. O problema é que ficou preso e nem deu para passar recolhendo o dízimo.

Outra escrita caiu por terra com essa história: a de que se passar a cabeça o resto passa fácil. Escrita que para mim nunca fez sentido, afinal, ao contrário do cachorro, pênis não tem ombro.

Já vi vários cachorros subindo pelas paredes a ponto de confundir minha perna com uma cachorra, mas cachorro entrando pelas paredes é a primeira vez que eu vejo.

No fim das contas, essa história nos deixa um aprendizado: esse negócio de "colocar só a cabecinha" quase sempre acaba com alguém sendo retirado à força.