terça-feira, 25 de fevereiro de 2020

Desilusão ortográfica amorosa


​​​​​De todos os males que a internet nos trouxe, a desilusão ortográfica amorosa é o pior. Triste flertar pela internet e a morena escrever "concerteza" ou "com migo". A pessoa é 99% gata, mas aquele 1% assassina o português.

Não que eu seja o Professor Pasquale, um errinho ou outro todo mundo comete, se você olhar minuciosamente esse texto vai encontrar vários. Sou feio e gordo, não nego, mas eu não escrevo você com ç e nem conjugo verbo com "mim".

Por exemplo, "conserteza" é o segundo pior erro de português, o primeiro continua sendo o descobrimento do Brasil, COM CERTEZA. Hoje em dia eu não espero honestidade de mais ninguém, já me contento com português correto. O erro de português é o mau hálito da conversa virtual e estraga tudo. 

Não vou generalizar, mas 90% das cirurgias plásticas deveriam acompanhar o procedimento de enxerto de massa encefálica.

Um dia conheci uma garota que pensei ser a ungida do Senhor que iria me fazer largar a vida de solteiro. Mas aí do nada me mandou: 

- Adoro comer alimentos com glúteos. 

Na hora me lembrei do Chaves perguntando ao Professor Girafales qual o animal que come com o rabo.

Depois continuou com outro assunto:

- Sou moça para casar, namorei só mente uma vez na vida.

Dias depois descobri que o apelido dela aqui no bairro é gripe, porque todo mundo já pegou ao menos uma vez na vida, muitos não SOMENTE uma vez. É tão rodada que já deve ter ganho todos os prêmios do "Quilômetros de Vantagens" do Posto Ipiranga, mas ainda assim essa não foi a maior decepção.

Antes dessa triste descoberta, li essa frase que quase sangrou meus olhos:

- Eu tenho a conciensia limpa, coloco a cabeça no trabiceiro tranquila. 

Falando nisso, li que um homem solteiro lava o lençol em média quatro vezes ao ano. Não sei para que tanto exagero, uma vez só já está ótimo. Por isso que quando minha ex lavava o meu, ela perguntava se aquilo era um lençol ou o Santo Sudário.

Voltando ao assunto, a dúvida de muitos cientistas é se há vida inteligente em outro planeta. Olha, eu já acho que está difícil encontrar neste. 

Não esqueço o dia em que chamei a referida garota de linda. Ela respondeu:

- Samos.

Existem dois tipos de pessoas burras no mundo: as que dizem "samos" ao invés de "somos" e meu primo Joaquim que enterrou meu tio com terno alugado. Está pagando até hoje.

Vocês ligam muito pra aparência. O importante mesmo é a pessoa saber a diferença entre "mas" e "mais". Acorde antes que alguém lhe leve ao curral, porque depois que estiver lá dentro e fecharem a porteira, não adianta mais você descobrir que é um burro iludido. Só percebemos onde amarramos o burro depois que ele já fez m... em tudo.

As vezes aquele "mim adiciona" pode te trazer junto uma séria desilusão. Confesso que quando li, a vontade foi de jogar um cocar e pedir para fazer a dança da chuva. Essa daí com certeza marcava a prova de múltipla escolha com "CH".

Ela tinha um corpo violão, só pra combinar com o cérebro que é do tamanho de uma palheta. 

Mas antes que achem que esse texto é machista eu digo: mulher sofre ainda mais com erros de português cometidos pelos homens. Tenho amigos que se colocarem os cérebros deles em um passarinho, ele voa pra trás. 

Teve outro que comprou uma moto para impressionar as garotas, tentou entrar com ela na água e ela parou de funcionar. Depois colocou a culpa na propaganda que dizia que as motos são como Jet Skis.

No fim das contas, a garota me pediu um tempo e espaço. Eu dei, a pessoa escreve jeito com "g", você acha que ela consegue calcular a velocidade?

Tem pessoas que são tão burras que não entendem uma piada. E eu sigo assim, achei que ia, mas não foi, aí quase foi, depois não foi, agora já era de vez.

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2020

A festa da carne


Você sabe que está ficando velho e chato quando ao ir e voltar da viagem de carnaval o movimento está sempre do lado contrário da rodovia. Tem quem goste, mas para mim o carnaval é algo mais sem importância que sutiã em desfile de escola de samba. 

Essa como tantas outras festas, já perdeu completamente o sentido. Reza a lenda que há mais de mil anos atrás, os cristãos criaram uma festa para desfrutar dos bens da terra. Comiam (no bom sentido da palavra) frutas, animais e festejavam o alimento que Deus os dava em abundância. Essa festa era sempre quarenta dias antes da páscoa e antecedia um período de penitência dos cristãos chamado quaresma. Esse é o sentido do Carnaval, "a festa da carne". Mas hoje em dia podemos chamar de "a festa do pecado da carne". 

Eu sou meio nerd, então esse ano vou ser o mestre-sala: sofá, TV e comida já estão no jeito para esses dias. E não vou nem engordar, já que graças ao Carnaval eu perco bastante calorias, pois quando alguém começa a falar sobre o assunto eu saio correndo da conversa.

Algumas pessoas ficam tão oferecidas nessa época que a única fantasia cabível é de "cartão da C&A". Eu, Rodrigo Portuga, estou na dúvida entre duas fantasias: "homem invisível" ou "números da mega-sena", assim ninguém me vê e todo mundo me erra. 

Carnaval chegando e os casais: "Sei lá amor, não está mais como antes". No último carnaval minha ex disse que precisava de um tempo e na quarta de cinzas postou uma foto com o "tempo". Ela reclama de passar uma vassoura em casa, mas chega no carnaval e passa o rodo. Bom, melhor mudar de assunto, pois se eu continuar provocando vou acabar passando o carnaval no bloco: o cirúrgico.

Existe só uma coisa pior que passar o Carnaval no ABC Paulista: passar o Carnaval no litoral. A festa da carne por lá pode se chamar “a festa da farofa”. Passei o carnaval lá uma vez e dei sorte que o tempo estava nublado, nem mormaço tinha. Ainda bem, pois parece que não, mas mormaço é igual alguns amigos meus no carnaval: queima.

Quando entrei num córrego que tinha depois de uma faixa de areia, local que não sei o motivo de ainda chamarem de praia, senti algo muito estranho. Uma friaca danada e a água estava quente. Não sei se por algum fenômeno natural ou se é porque pobre na praia usa a teoria que a vida é muito curta para sair da água quando der vontade de ir ao banheiro. Então resolvi sair de lá, melhor não arriscar pegar micose ou febre do rato.

Fui me sentar na areia e apreciar o ambiente. Areia que por sinal estava mais suja que a da caixa que meu gato usa para enterrar seu 02. Fiquei olhando aquela quantidade de gente feia que tinha lá e sem falsa modéstia, eu era um dos mais bonitos. Mas acabei ficando do mesmo nível deles quando resolvi tirar a camisa e ficar só de sunguinha. 

Falando em sunguinha, o brasileiro adora associar o futebol ao carnaval. Inclusive algumas torcidas organizadas de times de futebol desfilam sua arte e sua criatividade pelas avenidas. Aqueles mesmos machões lá do estádio que querem brigar com todo mundo, quando chega o carnaval vestem plumas, tanguinhas e saem rebolando por aí com o corpo coberto por purpurina. Nada contra, mas acho no mínimo curioso.

Esse ano não vou à praia, mas meus amigos vão e vou ficar igual ao Chaves quando todos foram para Acapulco. É tanta foto de praia no meu Facebook, que fui ao banheiro e minha cueca estava cheia de areia. Já coloquei meu traje e peguei a água de coco para curtir a praia nas redes sociais mesmo. Estou precisando me apaixonar, porque segundo o Tim Maia "quando a gente ama, não pensa em dinheiro", então nem ia ligar de passar o carnaval com o bolso mais vazio do que a cabeça de quem lançou a campanha do governo de abstinência sexual justo nessa época. 

Está bem, a vida não só pagar boleto, comprar amaciante e rejeitar ligação de cobrança. Temos que nos divertir então vou parar de falar mal do carnaval. Melhor eu parar de ser ranzinza, mudar meu jeito de pensar e ser igual a todo mundo para entrar na modinha e ser cobiçado pelas mulheres. Bom carnaval a todos! 

terça-feira, 11 de fevereiro de 2020

A vida é uma internet lenta


Eu passo muito tempo na internet. Muito tempo mesmo. Tanto que quando eu morrer vão escrever na minha lápide: "enfim offline". Isso desde o tempo que computador era branco, ficava amarelado e tínhamos que colocar capa no teclado depois de usar. É, estou ficando velho, mas o lado positivo é que por já ter meus trinta e tantos anos, eu fiz todas as minhas maluquices antes de existir a internet e não tive nada vazado.

Nesse tempo todo na internet já vi de tudo, menos uma coisa: uma internet boa e rápida no Brasil. Por que eu não consigo nem conectar a internet móvel na minha casa na cidade, mas os terroristas conseguem fazer upload de seus vídeos direto de seus esconderijos subterrâneos no meio do deserto? É incrível! 

Chega a mensagem: "você atingiu 100% do seu pacote de internet, sua velocidade será reduzida". Aí eu te pergunto, qual velocidade? É como se a operadora me desse uma tartaruga e depois cortasse uma perna dela.

O povo fala que estou na internet só para reclamar. Claro que sim, se fosse para agradecer estaria na Bahia mandando oferenda para Iemanjá. Minha internet está tão lenta, que fui baixar o filme "Velozes e Furiosos" e depois de 2 dias apareceu um vídeo do Rubinho Barrichello. Como que não reclama? 

Minha internet está tão lenta que fui baixar a música "Pais e Filhos" do Legião Urbana e quando o download terminou já era "Avós e Netos". Da mesma banda, estou há três dias baixando a música "Faroeste Caboclo" e o Jeremias ainda nem chegou na capital.

Se Pedro Álvares Cabral navegasse com a velocidade da minha internet, ele ainda nem teria descoberto o Brasil. Minha internet acha que eu sou o Luan Santana para ficar 10, 20, 30 anos esperando ela carregar um meme.

A vida é aquela internet lenta que a gente não faz nada, mas também não desiste. Eu pedi a Deus paciência e ele me deu essa internet lenta para que eu aprenda.

De todos os males que a internet nos trouxe, a desilusão ortográfica amorosa é o pior. Triste flertar pela internet e a morena escrever "concerteza" ou "com migo". Falo isso, mas as pessoas só flertam comigo na internet mesmo, na vida real elas gostam é de ex ou Zé Droguinha. 

Passei uns dias com a minha namorada no interior e fiquei sem conexão durante este tempo. Graças a isso, percebi o que é mais importante na vida: a internet. Quase me casei com ela. Com a internet, claro. 

- Aceita a internet como sua legítima esposa, na saúde e na doença, no Wi-Fi ou no 3G, até que a chuva os separe?

Falando em chuva, todos dizem que chuva e Netflix é a melhor combinação. O problema é que aqui em casa quando chove a internet cai. Tomo até banho com o som ligado no máximo para minha internet não cair pensando que é chuva. 

Meu hobby predileto é ficar pesquisando na internet coisas que eu nunca vou ter dinheiro pra comprar. Esses dias comprei um produto pra secar a barriga na internet que disseram ser 100% comprovado: me mandaram uma toalha de banho. Há uns seis meses que comprei um livro chamado "Como não cair em golpes na internet" e ele ainda não chegou. Não vejo a hora dele chegar, não aguento mais cair em golpes. 

A internet móvel nos deu a liberdade de tomar decisões, trabalhar, pagar as contas e conversar com os amigos enquanto passamos um fax. Muita coisa legal, mas ainda assim tem gente que prefere entrar na internet só para brigar. Depois que o brasileiro acordou doutor em política, a internet virou um caos.

Briga pela internet sem Caps Lock ativo é igual show da Claudia Leitte no Rock in Rio: não faz sentido. Brincadeira hoje é assim, a quadra é a internet, a indireta é a bola. Essas são as regras da queimada do século XXI. O ruim de discutir pelo Facebook, é que não tem como imitar o que a pessoa falou com voz fina provocando.

Agora falando sério, uma coisa importante: sabia que é possível você ler algo que não concorda na internet e simplesmente seguir a sua vida? Reflita.

Enfim, a internet abre as portas para muita gente querendo dar opinião que não serve pra nada, inclusive essa aqui. Chega a dar dó da minha ingenuidade achando que você aí curtiu esse texto. É a mesma ingenuidade do Internet Explorer, quando ele pergunta se desejo torná-lo o meu navegador padrão. 

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2020

Malandra é a vaca que nasce malhada para não ir à academia



Li que 70% do nosso corpo é água, foi então que percebi que não estou gordo, só estou alagado. Não sou gordo, apenas minha capacidade de armazenamento é maior que a dos outros.

Subi na balança hoje e apareceu a mensagem: “favor subir um de cada vez”. E ainda vi uma mulher tirando a rasteirinha para se pesar depois de mim. Essa é esperança na vida que devemos ter, que belo exemplo.

Eu não sou gordo, só sou baixo demais para o meu peso, se eu tivesse uns três metros de altura, seria magrinho. Meu estômago em festas me lembra a memória do meu celular: nunca consigo guardar tudo que quero dentro dele.

Esses dias sortearam um mês de academia grátis em uma promoção onde eu trabalho e me dei muito bem: eu não fui o sorteado. Mas ainda assim, meus amigos insistem para eu ter uma vida fitness, mas sou mais preguiçoso que o cara que desenhou a bandeira do Japão.

Primeiro que não consigo parar de pensar em comida, eu até sonho que estou comendo. Essa noite eu sonhei que tinha comido um algodão doce de dois quilos. Quando acordei meu travesseiro tinha sumido.

E outra, em nada me impressiona as pessoas saradas. A pessoa posta uma frase de superação no Facebook, eu fico emocionado, vou lá, curto, penso que ela se curou de um câncer, mas depois vejo que foi apenas mais um dia na academia.

Falei com um profissional de educação física e ele me disse que tenho que começar aos poucos. Então ontem eu passei na rua de trás da academia, hoje em frente e amanhã se Deus quiser eu entro e pergunto o preço.

Já entrei na academia uma vez. Vi um halteres de 20kg e já imaginei que eu era o Hulk tentando levantar o martelo do Thor. Academia agora no começo do ano parece igreja: todo mundo atrás de um milagre querendo perder o peso que ganhou nas festas de fim de ano.

Eu não sei, mas acho que sou alérgico a exercício. Toda vez que faço um pouquinho minha pele fica vermelha, meu coração dispara, começo a suar e fico com falta de ar. Melhor não insistir.

Meu amigo fala que vai na academia para pegar um pouco de massa. Ué, para pegar uma massa eu acho melhor ir numa pizzaria.

Esse meu amigo ainda fica ostentando a barriga de tanquinho. Ostentação não é mostrar barriga que você consegue com uma academia onde você paga uns R$ 70,00 por mês, ostentação é mostrar barriga saliente de cadela prenha onde você gasta R$ 400,00 por semana com churrasco e refrigerante.

Outra amiga diz que faz academia para ter vida longa. Veja bem, a tartaruga vive 200 anos, não faz nenhum exercício e ainda de quebra tem a barriguinha dura.

Vou ser sincero, eu saio para correr de vez em quando. E sempre que não posso sair para correr, acrescento 30 minutos de corrida no dia seguinte. Amanhã mesmo vou correr e só paro em 2050. Um amigo me disse que correr pode acrescentar dias à nossa vida. Eu concordo, toda vez que corro me sinto dez anos mais velho.

Vi na TV que está na moda ter uma vida saudável trocando o carro pela bicicleta. Para quem se interessar, eu tenho uma bicicleta, viu?

Enfim, não vou aderir à moda. Infelizmente a mensalidade da academia não inclui um funcionário para vir aqui em casa me levar arrastado. Abdominal pra mim é quando você está deitado e espirra.

Só não faço academia por medo de perder a barriga e não ter mais com o quê empurrar a minha vida.  Por isso eu digo, malandra é a vaca que nasce malhada para não fazer academia.