quarta-feira, 19 de fevereiro de 2020

A festa da carne


Você sabe que está ficando velho e chato quando ao ir e voltar da viagem de carnaval o movimento está sempre do lado contrário da rodovia. Tem quem goste, mas para mim o carnaval é algo mais sem importância que sutiã em desfile de escola de samba. 

Essa como tantas outras festas, já perdeu completamente o sentido. Reza a lenda que há mais de mil anos atrás, os cristãos criaram uma festa para desfrutar dos bens da terra. Comiam (no bom sentido da palavra) frutas, animais e festejavam o alimento que Deus os dava em abundância. Essa festa era sempre quarenta dias antes da páscoa e antecedia um período de penitência dos cristãos chamado quaresma. Esse é o sentido do Carnaval, "a festa da carne". Mas hoje em dia podemos chamar de "a festa do pecado da carne". 

Eu sou meio nerd, então esse ano vou ser o mestre-sala: sofá, TV e comida já estão no jeito para esses dias. E não vou nem engordar, já que graças ao Carnaval eu perco bastante calorias, pois quando alguém começa a falar sobre o assunto eu saio correndo da conversa.

Algumas pessoas ficam tão oferecidas nessa época que a única fantasia cabível é de "cartão da C&A". Eu, Rodrigo Portuga, estou na dúvida entre duas fantasias: "homem invisível" ou "números da mega-sena", assim ninguém me vê e todo mundo me erra. 

Carnaval chegando e os casais: "Sei lá amor, não está mais como antes". No último carnaval minha ex disse que precisava de um tempo e na quarta de cinzas postou uma foto com o "tempo". Ela reclama de passar uma vassoura em casa, mas chega no carnaval e passa o rodo. Bom, melhor mudar de assunto, pois se eu continuar provocando vou acabar passando o carnaval no bloco: o cirúrgico.

Existe só uma coisa pior que passar o Carnaval no ABC Paulista: passar o Carnaval no litoral. A festa da carne por lá pode se chamar “a festa da farofa”. Passei o carnaval lá uma vez e dei sorte que o tempo estava nublado, nem mormaço tinha. Ainda bem, pois parece que não, mas mormaço é igual alguns amigos meus no carnaval: queima.

Quando entrei num córrego que tinha depois de uma faixa de areia, local que não sei o motivo de ainda chamarem de praia, senti algo muito estranho. Uma friaca danada e a água estava quente. Não sei se por algum fenômeno natural ou se é porque pobre na praia usa a teoria que a vida é muito curta para sair da água quando der vontade de ir ao banheiro. Então resolvi sair de lá, melhor não arriscar pegar micose ou febre do rato.

Fui me sentar na areia e apreciar o ambiente. Areia que por sinal estava mais suja que a da caixa que meu gato usa para enterrar seu 02. Fiquei olhando aquela quantidade de gente feia que tinha lá e sem falsa modéstia, eu era um dos mais bonitos. Mas acabei ficando do mesmo nível deles quando resolvi tirar a camisa e ficar só de sunguinha. 

Falando em sunguinha, o brasileiro adora associar o futebol ao carnaval. Inclusive algumas torcidas organizadas de times de futebol desfilam sua arte e sua criatividade pelas avenidas. Aqueles mesmos machões lá do estádio que querem brigar com todo mundo, quando chega o carnaval vestem plumas, tanguinhas e saem rebolando por aí com o corpo coberto por purpurina. Nada contra, mas acho no mínimo curioso.

Esse ano não vou à praia, mas meus amigos vão e vou ficar igual ao Chaves quando todos foram para Acapulco. É tanta foto de praia no meu Facebook, que fui ao banheiro e minha cueca estava cheia de areia. Já coloquei meu traje e peguei a água de coco para curtir a praia nas redes sociais mesmo. Estou precisando me apaixonar, porque segundo o Tim Maia "quando a gente ama, não pensa em dinheiro", então nem ia ligar de passar o carnaval com o bolso mais vazio do que a cabeça de quem lançou a campanha do governo de abstinência sexual justo nessa época. 

Está bem, a vida não só pagar boleto, comprar amaciante e rejeitar ligação de cobrança. Temos que nos divertir então vou parar de falar mal do carnaval. Melhor eu parar de ser ranzinza, mudar meu jeito de pensar e ser igual a todo mundo para entrar na modinha e ser cobiçado pelas mulheres. Bom carnaval a todos! 

Nenhum comentário: