quarta-feira, 22 de abril de 2020

Mito é o carinha do patins!

​​
Eu não gosto de ir em supermercado. Primeiro porque é nula a probabilidade de na volta estarem do mesmo lado o bolso com chave da porta e a mão que segura as compras. Segundo porque sou sedentário, se eu voltar do supermercado com mais de 6 sacolas já fico todo dolorido. E terceiro porque minha paciência anda mais curta que roupa de piriguete.

Piriguete pra mim é como uma criança que não sabe como conseguir o Danoninho e se joga aos berros no corredor do mercado. Nem a pandemia do coronavírus consegue segurar as moças. Perigoso isso, geralmente o dono do iate já tem mais de 60 anos e está no grupo de risco da doença. Muita piriguete se achando a última bolacha do pacote. Se liga, no mercado tem mais.

Mas o tema de hoje não é esse. Sabe aquele ódio de si mesmo que dá quando você fica duas horas elaborando a lista de compras com 250 itens, mas quando chega no mercado descobre que esqueceu ela em casa? Pois bem, fiquei horas no mercado mais perdido que cueca em noite de núpcias.

Me lembrei que precisava de veneno para ratos. Em casa tem muito rato, mas o único gato que funciona é o da TV, o felino que eu crio está mais por fora que rego de índio. Vi na prateleira um "Mate Leão" e comprei sem dúvidas. Afinal, se mata leão, imagina rato. Espero que funcione.

A gente anda pelo mercado e vê uma das maiores contradições de todas. A sociedade pressiona as pessoas da nossa geração a serem magras, mas no mercado 90% da comida disponível não colabora para isso. Por isso estou mais gordo que mosca de mercearia. Sou a favor de carrinhos de mercado maiores, não estou mais cabendo lá dentro!

Vi demonstradora de tudo, menos do produto mais concorrido e disputado nessa quarentena: o papel higiênico. Seria engraçado não acha? O pessoal que está estocando o produto passando, abaixando suas calças, a promotora passando o papel e dizendo com delicadeza: 

- Viu como é macio, Senhor? 

Agora o pior lugar do mercado é o caixa. Sou um filantrópico de verdade, vivo doando um centavo para os mercados toda vez que vou lá. Chega a nossa vez e a moça do caixa pergunta:

- Vai querer sacola? 

Cada coisa. Se fosse para levar no bolso, eu não passava no caixa.

E toda vez tem um barraco no caixa. No site do mercado o produto está um preço, na prateleira outro e no panfleto que entregam na rua um outro diferente. Aí fica aquela confusão mais feia que indigestão de torresmo. 

Dessa vez, o pessoal na minha frente estava brigando por divergências no preço do milho de pipoca. O clima ficou tão quente que o milho estourou e comemos a pipoca lá mesmo. Aquela briga. O cliente mais faceiro que mosca em tampa de xarope. A moça do caixa suando mais que tampa de cuzcuz. Eis que aparece o mito, o cara que uniu e pacificou a situação: o carinha do patins!

Quem nunca presenciou uma situação dessas em um supermercado e sempre chega esse profissional do bem, esse ungido do Senhor para resolver a bucha? Ele fica na dele, aparece pouco, mas quando aparece resolve o problema. Esse sim é o verdadeiro mito. Mito é quem no momento de conflito vem para apaziguar e não para piorar ainda mais a situação. Mito é quem vê o problema e resolve, não quem joga a culpa em um terceiro. Mito é quem procura solução para a crise e não meios de aumentar ela.

Nesse momento de reflexão pensei: carinha do patins para Presidente!  

Por coincidência, o carinha do patins era um amigo da época da faculdade que estava trabalhando lá. A faculdade realmente nos preparou para o mercado, não mentiram para gente! 

A esse amigo e a todos os profissionais que estão trabalhando nos serviços essenciais eu deixo o meu caloroso abraço. De longe, mas caloroso. E a todos aqueles que têm nas mãos e nas canetas a decisão que interfere na vida de toda uma sociedade, se inspirem no carinha do patins. Resolva. Ele sim é um mito!

segunda-feira, 13 de abril de 2020

Feliz dia do beijo, mas sem beijo!


Hoje é o dia do beijo. Vale ressaltar que não é momento de beijar ninguém, mas para mim tranquilo, serve até de desculpa. A última vez que recebi uma mensagem de alguém querendo me beijar faz tanto tempo que nem veio pelo WhatsApp, foi uma pintura na caverna. Falando em caverna, entrei em uma e gritei:

- Eu te amo!

O eco respondeu:

- Eu também, mas como amigo!

Se antes da propagação do Coronavírus eu já estava mais por baixo que tapete de porão, imagina agora. O primeiro beijo pós quarentena, vai ser mais emocionante que perder o BV. Assim que passar essa quarentena vou sair por aí mais bem arrumado que burro de cigano e ver se dou sorte.

Coronavírus que vem fazendo as pessoas refletirem. Minha ex, por exemplo, beijou cem bocas no carnaval e agora está aí, passando álcool gel nas mãos de hora em hora. Depois do nosso último beijo ela me disse:

- Amor, você já percebeu que o vizinho ao lado antes de sair enche a mulher dele de beijo? 
- Já percebi sim! 
- Então por que você não faz o mesmo? 

Fui lá fazer e tomei três surras: da vizinha, do vizinho e da minha ex. 

Isso foi um dia depois que eu a surpreendi com uma deliciosa massa acompanhada de frutos do mar. Ela disse que tinha adorado o pão com sardinha.

Voltando a falar dos vírus, estou tanto tempo em casa que já estou mais angustiado que barata de barriga pra cima. Li que não é só Coronavírus que se pega através do beijo não, o Zika Vírus também. Mas eu não corro esse risco, não ando por aí beijando mosquitos.

E cá para nós, quem comemora dia do beijo é adolescente, adulto comemora o dia do pagamento. Para quem acha bom beijar na boca, deveria experimentar dormir depois do almoço e acordar só no fim da tarde agora na quarentena. Que delícia!

Eu vou parar por aqui. Vou ficar observando nas redes sociais as mulheres que têm bom gosto, afinal, a primeira coisa que reparo em uma mulher é o bom gosto dela. Se ela tiver, já sei que não tenho chance.

quinta-feira, 9 de abril de 2020

É meu ovo!


Chegou a semana santa. Momento que muitos cristãos usam para reflexão e conversão, para lembrar do sacrifício de Jesus na cruz, Ele que apanhou mais que pandeiro na gafieira e sofreu mais que joelho de freira na semana santa, mas que venceu a morte ressuscitando no terceiro dia.

Minha mulher sempre disse que tenho que imitar Jesus. Se não fosse a quarentena, nesse feriado iria imitar: sumir na sexta e só aparecer no domingo. Ela não gostou muito da piada e me disse que eu poderia ir, mas consciente que ela faria como Judas: iria me trair. Realmente não dá para confiar nas mulheres, pois uma pesquisa apontou que metade das mulheres já traiu o parceiro. Isso significa que provavelmente já fui traído pela minha mulher ou pela minha amante.

Voltando ao assunto, já disse que para uns é tempo de reflexão, mas para a grande maioria do povo é apenas mais um feriado qualquer, sem valor igual argentina no meretrício. Eu mesmo tenho tanto pecado que nem me confesso mais, presto depoimento. 

Vi uma barra de 125 gramas de chocolate, de uma boa marca, custando R$ 2,50 em um grande hipermercado, enquanto um ovo de Páscoa da mesma marca e com o mesmo peso custava R$ 79,90. Com esse preço já está na hora das crianças saberem que coelhinho da páscoa não existe igual o mundial do DESCUBRA!

O que tem dentro desse ovo? A fórmula da cura do coronavírus? Ok, parei de reclamar do preço do ovo e vou fazer a minha parte para que eles fiquem mais baratos. Agora mesmo estou indo ao mercado quebrar alguns. 

Tem que ser assim, depois que viramos adultos se não comprarmos nossos próprios ovos de páscoa, ninguém compra pra gente. Ainda mais eu que sou gordo e já penso nos ovos de páscoa desde a ceia de natal. Já que a semana é de milagres, coloquei Nescau na ração das galinhas para ver se elas botam ovos de chocolate. Quem sabe!

Esses dias apareceu uma mulher querendo me vender ovo de colher. Oxi, eu nem sabia que colher botava ovo! 

Todo mundo fala que chocolate demais enjoa e engorda. Eu sinceramente não sei como o pessoal consegue comer tanto chocolate, como dois quilos e já fico satisfeito. Sobre engordar eu não ligo. Esses dias sortearam três meses grátis de academia na empresa onde eu trabalho e dei muita sorte: não fui o sorteado.

E na boa, se o Ronaldo Fenômeno e o goleiro Bruno colocaram a culpa no macarrão, por que eu não posso colocar no chocolate? Vou continuar gordo assim para levar a vida do jeito que mais sei: empurrando com a barriga.

quarta-feira, 1 de abril de 2020

Top 10 - Dia da mentira


Adoro mentira! E como um amante de mentiras absurdas e engraçadas eu não poderia deixar passar essa data tão especial em branco. Antes que me julguem mal, eu gosto de mentiras em que as pessoas usam da criatividade para inventar histórias bizarras como as que vamos ver nesse texto e não daquelas que são feitas apenas para prejudicar alguém. Vou contar agora as top 10 maiores mentiras que já ouvi na minha desprezível existência:

10 – O óculos mágico

Um amigo me disse na época de escola que ele possuía um óculos que possibilita enxergar através das paredes e na hora do intervalo sentava na porta do banheiro das meninas e fingia que estava vendo as garotas peladas. Tinha gente que acreditava, mas eu sempre soube que única coisa que possibilita enxergar através das paredes é a janela.

9 – O poço das almas

Uma vez me contaram que em uma cidade do interior, todo mundo que ia dormir sem beber água morria, pois a alma ficava com sede, ia pegar água no poço, caía e morria. Eu achei a história sem noção, já que para brincar de “caiu no poço” não tinha que dormir com sede e sim com fome, para levantar e comer pera, uva, maçã ou salada mista.

8 – O cigarro da vovó

Outro amigo uma vez me disse que a sua avó para acender um cigarro, esfregava duas pedras uma na outra e acendia com as faíscas. Caro leitor, feche os seus olhos e imagine a velha tentando acender o cigarro desse jeito. A velha que fuma e ele que fica doidão.

7 – O rei da mira

Em um bate-papo sobre a violência no bairro em que moramos, um amigo me solta que certa vez viu dois caras discutindo, até que um deles sacou uma arma e deu um tiro para cima. A bala caiu bem na cabeça do outro que estava correndo em fuga. Essa mentira me fez lembrar de uma parte da minha infância na favela. Teve uma época que eu era o único garoto da rua que tinha um revolver de verdade. Um mês depois, eu era o único garoto da rua.

6 – A galinha turbinada

Um amigo me disse viu uma galinha voar de uma rua até a outra por cima das casas, que a galinha deu um voo rasante de quase 80 metros. Tudo bem que estão adulterando os galináceos e todo tipo de bicho por aí, mas alimentar galinha com pólvora é a primeira vez que vejo.

5 – Os cocos na casa de mamãe

Um cidadão que nem conheço, mas que depois dessa passei a considerar pacas, me disse que quando vai para a casa de mamãe na Bahia, já compra um caminhão de cocos e despeja a água todinha na caixa d’água, assim quando quiser beber água de coco é só abrir a torneira. Mentira danada hein, meu rei!

4 – O campeão do futebol

Um amigo me disse que tinha sido campeão de futebol representando a escola que a gente estudava. Não acreditei e ele disse que tinha medalha para esfregar na minha cara. Pedi para ele esfregar sem problema e ele me disse que não ia pegar a medalha naquele momento porque tinha guardado embaixo de umas caixas pesadas na casa dele. Continuei insistindo e ele me disse: não aguento as caixas, fui campeão de futebol, não de levantamento de peso. Então tá!

3 – O espírito do marinheiro

A mãe de um amigo me procurou pedindo ajuda porque segundo ela, esse meu amigo encontrou o nome dele costurado na boca de um sapo e desde então vem sendo possuído pelo espírito de um marinheiro. Bom, tratando-se daquela figura, já sabia que era algum golpe e em uma semana já pude comprovar que coincidentemente a possessão sempre ocorria no percurso quando ele saía do bar e voltava para casa.

2 – O homem-gato

Certa vez, um amigo lançou a fofoca de que a Dona Maria e o Seu Zé eram amantes. Perguntei se ele podia provar e ele me disse que sim, que toda noite ele via um gato preto entrando na casa da Dona Maria e que o referido gato era o Seu Zé que usava de poderes sobrenaturais para se transformar no animal. Perguntei como ele chegou a essa conclusão e ele me disse: simples, um dia dei uma pedrada nas costas do gato e no dia seguinte fui conversar com o Seu Zé e ele me disse que estava com dores nas costas!

1 – O blog engraçado

Vou contar uma minha agora: voltei com esse blog porque vários amigos pediram pelo fato de eu escrever muito bem e meus textos serem muito engraçados. Então, atendendo a milhares de pedidos resolvi voltar. Volte sempre aqui e divirta-se!